PF investiga desvios em programa voltado a portos e indústrias no Ceará

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Polícia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 16 de outubro de 2020 as 13:50, por: CdB

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira mais uma operação ligada à Lava Jato, por meio da qual investiga a liberação de créditos tributários em troca de vantagens indevidas ocorridas no âmbito do Programa de Incentivo às Atividades Portuárias e Industriais do Ceará (Proapi).

Por Redação, com ABr – de Brasília

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira mais uma operação ligada à Lava Jato, por meio da qual investiga a liberação de créditos tributários em troca de vantagens indevidas ocorridas no âmbito do Programa de Incentivo às Atividades Portuárias e Industriais do Ceará (Proapi).

Operação Marquetagem cumpre 17 mandados de busca e apreensão
Operação Marquetagem cumpre 17 mandados de busca e apreensão

A pedido da Justiça Eleitoral de Fortaleza, a Operação Marquetagem cumpre 17 mandados de busca e apreensão nas cidades de Fortaleza, São Paulo e Salvador, com o objetivo de obter “elementos probatórios acerca das condutas potencialmente ilícitas de agentes políticos e empresários envolvidos na liberação de créditos tributários oriundos do Proapi, em troca do recebimento de vantagem indevida”, informou a PF.

Operação Lava Jato

Segundo os investigadores, trata-se de mais uma fase da Operação Lava Jato iniciada em 2018 com a colaboração premiada dos executivos ligados a um grupo empresarial.

De acordo com a PF, o grupo teria movimentado cerca de R$ 25 milhões em pagamentos por meio da simulação de prestação de serviços publicitários e do uso de notas fiscais frias. Há, ainda, indícios de que os recursos tenham sido usados em doações oficiais nas campanhas eleitorais de 2010 e 2014.

Segundo a PF, os investigados poderão responder pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral, corrupção, lavagem de dinheiro e integrar organização criminosa.

Tráfico de drogas e armas

Foi deflagrada, pela Polícia Federal (PF) na quinta-feira, a Operação Boa Vista, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa suspeita de tráfico internacional de drogas, armas e contrabando, além de descaminho de produtos eletrônicos, agrotóxicos e equipamentos médicos como aparelhos de endoscopia e ultrassom.

A operação conta com a participação de 60 policiais federais para o cumprimento de 20 mandados judiciais, dos quais oito são mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão.

Segundo os investigadores, um dos mandados de prisão será cumprido na cidade de Bauru, em São Paulo. Os demais, na cidade de Guaíra, cidade localizada a oeste do Paraná, na fronteira com o Paraguai. As ordens judiciais foram expedidas pela Justiça Federal em Guaíra.

Por meio de nota a PF informou que, com os mandados, pretende apreender veículos e embarcações. Também está autorizado o bloqueio de contas bancárias e de “outros ativos financeiros, e bens até o limite de R$ 10 milhões, além do sequestro de imóveis”.

De acordo com a PF, a casa de um dos líderes da organização criminosa estaria avaliada em mais de R$ 1,5 milhão. “A estratégia é atuar de forma a descapitalizar as organizações criminosas”, informa a nota.

Estimativas iniciais apontam que, só nos últimos quatro meses, os investigados perderam o equivalente a R$ 4,2 milhões em produtos ilícitos apreendidos pelas autoridades.

As investigações foram iniciadas em junho deste ano após a descoberta de que um imóvel rural, situado à beira do Lago de Itaipu, que estaria sendo utilizado com frequência para a retirada e estocagem de ilícitos vindos do país vizinho.

Os investigadores constataram que as atividades criminosas eram divididas, ficando um grupo dedicado à prática de contrabando e descaminho de produtos eletrônicos, agrotóxicos e equipamentos médicos; e outro dedicado a traficar drogas e armas.

“Durante as diligências foram realizadas diversas apreensões e prisões em flagrante de membros da organização criminosa, destacando a apreensão, em julho de 2020, de mais de 100 quilos de pasta base de cocaína/crack, que tinha como destino o estado de São Paulo. A droga era levada por um membro da organização criminosa em um fundo falso de veículo”, diz a nota da PF.

Em setembro 20 fuzis calibre 5.56 foram apreendidos no fundo falso de um veículo de propriedade de um dos investigados.

A Operação Boa Vista conta com o apoio de uma equipe do Batalhão de Polícia de Fronteira da Polícia Militar do Paraná, e de um helicóptero do Grupamento de Operações Aéreas da Polícia Civil do Paraná.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *