Polícia norte-americana testa ‘arma do Homem-Aranha’ como alternativa ao Taser

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de setembro de 2019 as 11:36, por: CdB

Chamado de Bolawrap, o dispositivo lança uma corrente de 2,4 metros semelhante a uma boleadeira que envolve as pernas do suspeito e o impede de fugir.

Por Redação, com Reuters – de Los Angeles

Depois que 49 pessoas morreram no ano passado após terem levado choques de Tasers, departamentos de polícia dos Estados Unidos estão testando um dispositivo estilo “Homem-Aranha” que dispara uma corrente que envolve e contém o suspeito.

Apresentação da nova arma não letal bolawrap, em Laguna Niguel, na Califórnia

Chamado de Bolawrap, o dispositivo lança uma corrente de 2,4 metros semelhante a uma boleadeira que envolve as pernas do suspeito e o impede de fugir. O objeto funciona a uma distância de 3 a 7,6 metros.

Spray de pimenta

– Seja Taser, spray de pimenta, cassetete… existe uma lacuna criada pelos tribunais que exige que um nível maior de força seja usado no momento apropriado – disse Tom Smith, presidente da Wrap Industries, que fabrica o dispositivo Bolawrap.

– Esta ferramenta se encaixa perfeitamente nessa lacuna, dando aos agentes outra opção para usarem antes de terem que usar esse nível alto de força para encerrar a conversa muito cedo e muito rápido – acrescentou.

Smith, que fundou a TASER International, hoje Axon Enterprises, criou o Taser com seu irmão e depois foi para a Wrap Technologies. Ele disse que viu o sucesso do Taser como prova de que existe um anseio por mais ferramentas não letais no policiamento.

O Bolawrap é um pouco maior que um celular e foi concebido para caber facilmente no cinto de um policial. A corrente de fibra sintética dispara a uma velocidade de cerca de 200 metros por segundo, “e isso quer dizer… que você não a verá”, explicou Smith.

Ele disse que demonstrou o dispositivo a dezenas de departamentos de polícia dos EUA, e também da Austrália e da Nova Zelândia.

À agência inglesa de notícias Reuters documentou um total de ao menos 1.081 mortes nos EUA após o uso de Tasers pela polícia, quase todas desde que a arma se tornou de uso generalizado no início dos anos 2000, sendo 49 em 2018. Em muitos dos casos, o Taser foi combinado a outro tipo de força, como golpes, spray de pimenta e imobilização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *