Polícia prende manifestantes no Irã em meio a aumento da repressão

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 2 de janeiro de 2018 as 10:21, por: CdB

Os tumultos são os piores desde que multidões foram às ruas em 2009 em repúdio à reeleição do então presidente Mahmoud Ahmadinejad

Por Redação, com Reuters – de Londres:

A polícia do Irã prendeu 100 manifestantes na capital Teerã o dia anterior, informou o governo local nesta terça-feira, em meio a um aumento da repressão policial contra as manifestações antigoverno iniciadas na semana passada.

Manifestantes protestam em Teerã, no Irã

As forças de segurança têm tido dificuldade para conter os protestos que irromperam na quinta-feira e continuaram em todo o país; no maior desafio à liderança clerical iraniana em anos.

Os tumultos são os piores desde que multidões foram às ruas em 2009 em repúdio à reeleição do então presidente Mahmoud Ahmadinejad. Um membro das forças de segurança foi declarado morto na segunda-feira.

– Duzentas pessoas foram presas no sábado, 150 pessoas no domingo e cerca de 100 pessoas na segunda-feira – informou Ali Asghar Naserbakht, vice-governador da província de Teerã; segundo a agência de notícias semioficial Ilna nesta terça-feira.

Centenas de pessoas foram presas em outras cidades. O vice-governador disse que a situação está sob controle em Teerã e; que a polícia não pediu ajuda das forças especiais da Guarda Revolucionária.

Protestos

A agência de notícias Mehr também citou uma autoridade do Judiciário segundo a qual vários líderes de protestos em Karaj; a quarta maior cidade do Irã, foram presos.

Vídeos publicados em redes sociais na segunda-feira mostraram um confronto intenso entre forças de segurança; e manifestantes que tentavam ocupar uma delegacia de polícia; que foi parcialmente incendiada, na cidade central de Qahderijan.

Surgiram relatos não confirmados de várias vítimas entre os manifestantes. O governo disse estar restringindo temporariamente o acesso ao aplicativo de mensagens Telegram e ao Instagram. Também houve relatos de que o acesso à Internet móvel foi bloqueado em algumas áreas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *