Polícia do Rio prende 18 pessoas por furto e adulteração de combustível

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 21 de novembro de 2019 as 12:09, por: CdB

A Polícia Civil fez nesta quinta-feira uma operação para desarticular uma organização criminosa acusada de furto e adulteração de combustível no Rio de Janeiro.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A Polícia Civil fez nesta quinta-feira uma operação para desarticular uma organização criminosa acusada de furto e adulteração de combustível no Rio de Janeiro. De acordo com a assessoria de imprensa da polícia, estão sendo cumpridos 17 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão.

Com o golpe, as empresas chegavam a lucrar até R$ 4 milhões por mês
Com o golpe, as empresas chegavam a lucrar até R$ 4 milhões por mês

Até as 9h 18 pessoas tinham sido presas na chamada Operação Saccularis. As investigações, que começaram há oito meses, identificaram que os suspeitos agiam a partir de empresas legalizadas no ramo de transporte de combustíveis e desviavam cargas para diversas garagens localizadas em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

O combustível

Quando os caminhões chegavam a essas garagens, uma pequena quantidade, de 60 a 120 litros, era retirada e substituída por solvente. Depois de retirar o combustível, eles esperavam atingir a marca de mil litros e depois revendiam a R$ 2 ou R$ 3 o litro para receptadores.

Com o golpe, as empresas chegavam a lucrar até R$ 4 milhões por mês. Os investigados responderão por furto qualificado, receptação e adulteração de combustível, crimes contra ordem econômica, ordem tributária, relações de consumo, crimes contra o meio ambiente e lavagem de dinheiro.

Prisões em flagrante

Agentes da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Nova Iguaçu (DEAM Nova Iguaçu) realizaram , na quarta-feira, três prisões em flagrante.

A primeira foi de Dyone Willian Silva Da Conceição, de 28 anos, pelos crimes de apropriação indébita, estupro, injúria e ameaça, bem como pelo crime de tortura.

A segunda prisão foi de Rômulo De Jesus Lima, de 30 anos, pelo crime de lesão corporal no âmbito da violência doméstica.

A terceira prisão em flagrante foi de Gerson Pereira, de 48 anos, pelo crime de lesão corporal no âmbito da violência doméstica e por descumprir medidas protetivas também no âmbito da violência doméstica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *