Polícia do Rio faz operação contra ataques a terreiros

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 14 de agosto de 2019 as 11:42, por: CdB

A delegacia conseguiu identificar os suspeitos pelos ataques a terreiros e conseguiu mandados de prisão junto à Justiça.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

Policiais civis fizeram nesta quarta-feira operação contra facção criminosa que atua na comunidade de Parque Paulista, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. De acordo com a Polícia Civil, o grupo controla a venda de drogas na região e é responsável por ataques a terreiros de candomblé.

Polícia faz operação contra ataques a terreiros no Rio

Até o momento, a polícia prendeu sete pessoas. As investigações feitas pela 62ª Delegacia Policial de Imbaiê começaram há três meses, depois de receber denúncias de intolerância religiosa praticada pelo grupo criminoso contra religiões de matriz africana.

A delegacia conseguiu identificar os suspeitos pelos ataques a terreiros e conseguiu mandados de prisão junto à Justiça.

Três pessoas morrem em operação

Três pessoas morrreram e um bebê foi baleado em operação da Polícia Militar (PM) na comunidade Quarenta e Oito, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, na noite de terça-feira.

Entre os mortos está Margareth Teixeira, a mãe do bebê, que passava pelo local no momento do enfrentamento da PM com suspeitos. Os feridos foram levados para o Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, mas apenas a criança chegou com vida à unidade. Seu quadro de saúde é estável, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

A Polícia Militar informou que a operação do 14º Batalhão (Bangu) visava coibir confrontos armados entre grupos rivais de criminosos. Ao se aproximar, houve “intensa reação armada”. A dinâmica do caso vai ser analisada em um procedimento apuratório instaurado pelo comando do batalhão. O caso também será investigado pela 34ª Delegacia de Polícia Civil, onde foi registrado.

Segundo a PM, foram apreendidos dois fuzis, duas pistolas, munições e rádios transmissores.

Mortes de três jovens de comunidades da região metropolitana do Rio de Janeiro causaram protestos na tarde ontem. Manifestantes realizaram atos em Magé, Tijuca e Niterói.

Tiroteio em Angra dos Reis

Seis criminosos morreram e um ficou ferido em troca de tiros na madrugada de segunda-feira entre traficantes de drogas e homens da tropa de elite da Polícia Militar, em Angra dos Reis, no sul Fluminense.

Em nota, a Polícia Militar informou que foram apreendidos três fuzis, duas espingardas, uma pistola automática, munições, 572 pinos de cocaína e 368 pequenos pacotes de cocaína.

O clima no dia de hoje está normal no município de Angra dos Reis, na Costa Verde fluminense, depois de um dia de intenso tiroteio na comunidade Parque Belém, entre policiais militares e traficantes de drogas que agem na região. Devido ao poderio bélico dos traficantes, a unidade da PM de Angra pediu reforço ao Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) que seguiu do Rio para o município que fica a cerca de 200 quilômetros da capital.

Com a chegada do Bope à noite, a comunidade do Belém foi cercada pelos militares e após intenso tiroteio que terminou de madrugada, seis criminosos morreram e um deles acabou ferido e foi encaminhado ao Hospital Municipal Geral de Japuíba, onde foi operado e está fora de perigo, de acordo com o boletim médico.

Após o tiroteio, moradores da comunidade do Belém incendiaram dois ônibus na rodovia Rio-Santos, que tiveram perda total. A rodovia ficou interditada por cerca de duas horas, mas antes das 4 horas da madrugada já estava liberada, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *