Possível acordo entre EUA e China eleva os preços do petróleo

Arquivado em: Destaque do Dia, Energia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 29 de maio de 2020 as 13:29, por: CdB

Os futuros do petróleo dos EUA (WTI) para julho fecharam cotados a US$ 35,49 por barril, salto de US$ 1,78, ou 5,3%. O petróleo Brent para julho avançou US$ 0,04, a US$ 35,33 o barril.

Por Redação, com Reuters – de Nova York, NY-EUA

Os preços do petróleo avançaram nesta sexta-feira, com os contratos futuros do WTI terminando maio com um ganho mensal recorde, diante das expectativas de que o acordo comercial entre Estados Unidos e China permaneça intacto e do recuo na produção global da commodity.

O petróleo, uma commodity situada na estrutura do sistema econômico mundial, volta a ser valorizado
O petróleo, uma commodity situada na estrutura do sistema econômico mundial, volta a ser valorizado

Os futuros do petróleo dos EUA (WTI) para julho fecharam cotados a US$ 35,49 por barril, salto de US$ 1,78, ou 5,3%. O petróleo Brent para julho avançou US$ 0,04, a US$ 35,33 o barril. No entanto, o contrato mais ativo do Brent, para entrega em agosto, terminou o dia valendo US$ 37,84 o barril, alta de US$ 1,81, ou cerca de 5%.

Ambos os valores de referência tiveram fortes altas mensais, impulsionados pela queda na produção global e por expectativas de crescimento de demanda, à medida que partes dos EUA — incluindo Nova York — e outros países se movimentam para reabrir a economia após os lockdowns relacionados ao coronavírus.

Hong Kong

O WTI registrou um salto mensal recorde de 88% em maio, depois de chegar a operar em território negativo no mês passado. Já o Brent teve um ganho de cerca de 40% no período, maior alta mensal desde março de 1999.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta sexta-feira que seu governo começará a eliminar os tratamentos especiais concedidos a Hong Kong, em resposta a planos da China para impor uma nova legislação de segurança nacional ao território, mas não mencionou se a fase 1 do acordo comercial sino-americano estaria em risco.

— Havia muito nervosismo antes dessa entrevista coletiva, mas não parece que o pior cenário possível esteja emergindo — resumiu John Kilduff, sócio da Again Capital em Nova York.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *