Presidente da Indonésia diz que ataques a igrejas foram ‘bárbaros’

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 13 de maio de 2018 as 11:18, por: CdB

Em uma conferência de imprensa ao lado do chefe da polícia, Tito Karnavian, Widodo disse que em um dos ataques duas crianças foram usadas para lançar os ataques com bombas

Por Redação, com Reuters – de Surabaya:

O presidente da Indonésia, Joko Widodo, disse neste domingo que ataques suicidas realizados por suspeitos de serem militantes islâmicos em três igrejas na segunda maior cidade do país, Surabaya, foram “bárbaros” e ordenou que a polícia localize os mandantes do atentado.

Ruas ao redor das igrejas bombardeadas foram bloqueadas pelas autoridades

Em uma conferência de imprensa ao lado do chefe da polícia, Tito Karnavian; Widodo disse que em um dos ataques; duas crianças foram usadas para lançar os ataques com bombas.

– Eu instruí a polícia a investigar e desmembrar a rede por trás dos ataques – disse Widodo.

Violência

Ruas ao redor das igrejas bombardeadas foram bloqueadas pelas autoridades; e policiais fortemente armados mantinham guarda; enquanto a perícia e o esquadrões de bombas vasculhavam a área em busca de pistas.

Imagens de televisão mostraram uma igreja com a área à sua frente envolta em chamas; com fumaça negra e espessa subindo. Uma grande explosão foi ouvida horas depois dos ataques, o que segundo Mangera foi uma detonação realizada pelo esquadrão de bombas.

Os ataques acontecem dias depois que militantes islâmicos presos mataram cinco membros de uma força antiterrorista de elite durante um impasse de 36 horas em uma prisão de alta segurança nos arredores da capital, Jacarta.

Os ataques

Os ataques às igrejas provavelmente estão ligados ao impasse com reféns na prisão; disse Wawan Purwanto, diretor de comunicação da agência de inteligência da Indonésia.

O alvo principal ainda são as autoridades de segurança, mas podemos dizer que existem (alvos) alternativos se os alvos principais forem bloqueados – disse ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *