Presidente eleito da Guatemala quer mudar acordo imigratório de Donald Trump

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 12 de agosto de 2019 as 12:28, por: CdB

Giammattei só tomará posse em janeiro, altura em que a Guatemala pode estar sofrendo grande pressão do acordo.

Por Redação, com Reuters – da Cidade da Guatemala

O conservador Alejandro Giammattei obteve uma vitória contundente na eleição presidencial da Guatemala, no domingo, e prometeu buscar termos melhores para o país em um acordo imigratório impopular acertado com os Estados Unidos no mês passado.

Ganhador da eleição presidencial da Guatemala, Alejandro Giammattei, em entrevista

Com resultados preliminares de mais de 99% das urnas apuradas, o tribunal eleitoral declarou Giammattei como vencedor com mais de 58% dos votos, bem mais do que os 42% de sua rival de centro-esquerda e ex-primeira-dama Sandra Torres.

Em entrevista algumas horas antes de ser declarado vencedor, Giammattei disse querer ver o que pode ser feito para melhorar o acordo que o presidente em fim de mandato Jimmy Morales firmou para conter a imigração centro-americana rumo aos Estados Unidos.

Giammattei só tomará posse em janeiro, altura em que a Guatemala pode estar sofrendo grande pressão do acordo, que na prática transforma o país em uma zona-tampão obrigando os imigrantes a buscarem refúgio lá, em vez de nos EUA.

Transição

– Espero que, durante esta transição, as portas se abram para se obter mais informações para que vejamos o que, de um ponto de vista diplomático, podemos fazer para retirar deste acordo as coisas que não são certas para nós, ou como podemos chegar a um entendimento com os Estados Unidos – disse Giammattei, de 63 anos, à Reuters, em uma entrevista.

Ameaçado com sanções econômicas se dissesse não, Morales firmou um pacto no final de julho para tornar a Guatemala um assim chamado terceiro país seguro para imigrantes, apesar da pobreza e da violência endêmicas que levaram centenas de milhares de seus habitantes a migrarem para o norte.

– Não é certo para o país – disse Giammattei a respeito do acordo. “Se não tivermos capacidade de cuidar de nosso próprio povo, imagine como será para os estrangeiros”.

Fronteira dos EUA

Indagada sobre os comentários de Giammattei, a chefe da patrulha de fronteira dos EUA, Carla Provost, disse em uma entrevista ao canal Fox News: “Certamente é uma preocupação. Precisamos que tanto o México quanto a Guatemala continuem fazendo o que estão fazendo”, referindo-se à iniciativa mexicana de impedir que imigrantes cruzem sua fronteira com os EUA.

O acordo de terceiro país também é altamente impopular na Guatemala. Uma pesquisa deste mês do jornal guatemalteco Prensa Libre mostrou que mais de 8 de 10 pessoas rejeitam a ideia de a nação aceitar imigrantes em busca de asilo.

Não está claro quanto Giammattei conseguirá alterar o acordo, que exigiria que hondurenhos e salvadorenhos peçam visto na Guatemala, e não nos EUA, e prevê a concessão de vistos norte-americanos para alguns trabalhadores guatemaltecos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *