Presidente do Schalke se afasta após acusação de racismo

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 7 de agosto de 2019 as 12:46, por: CdB

Clemens Tönnies ficará três meses longe do cargo após críticas por fala sobre africanos. Clube classifica declaração do dirigente de discriminatória, mas considera “infundada” denúncia de racismo.

Por Redação, com DW e Reuters – de Berlim/Londres

Clemens Tönnies, presidente do clube alemão de futebol Schalke 04, se afastou do cargo por três meses nesta quarta-feira após comentários controversos emitidos na semana passada.

Presidente afastado do Schalke 04, Clemens Tönnies

Durante um evento na última quinta-feira, Tönnies propôs o financiamento de usinas elétricas na África e disse: “Então, os africanos parariam de derrubar árvores e de produzir crianças quando fica escuro.”

O comentário foi criticado como racista por ex-jogadores negros, como Gerald Asamoah, Hans Sarpei e pelo ex-atacante brasileiro Cacau, naturalizado alemão e que jogou pela seleção do país europeu.

Depois, Tönnies se desculpou pela afirmação, que disse ter sido “errada” e  “impensada”.

O conselho honorário do clube considerou que Tönnies “violou a proibição de discriminação contida no estatuto do clube”, após uma reunião de mais de quatro horas na qual Tönnies teve que explicar suas palavras.

O conselho, entretanto, considerou “infundada” a acusação de racismo contra o dirigente. O clube afirmou que Tönnies decidiu se afastar temporariamente por três meses de seu posto.

“Ele admitiu a violação na reunião desta terça-feira e expressou mais uma vez seu arrependimento”, destacou o conselho, através de nota.

Palavras de Tönnies

O encarregado do governo alemão para a África, Günter Nooke, criticou as palavras de Tönnies.“Infelizmente, frases como a de Tönnies dificultam qualquer discussão construtiva”, afirmou. “Todos nós precisamos nos esforçar para ter uma linguagem adequada. Todos devem se sentir tratados com respeito”, completou

A deputada do Partido Social-Democrata (SPD) e presidente da comissão de esporte do Parlamento alemão, Dagmar Freitag, se mostrou decepcionada com a reação do Schalke e pediu que a Federação Alemã de Futebol (DFB) interfira no caso. “É claro que se eu marginalizo um continente inteiro e seu povo, isso constitui para mim racismo, e não apenas discriminação”, opinou.

Diego Forlán anuncia aposentadoria

O ex-atacante da seleção do Uruguai Diego Forlán anunciou a aposentadoria dos gramados, encerrando uma carreira de 21 anos durante a qual jogou em times de três continentes.

Forlán, que iniciou sua carreira com o clube argentino Independiente, atuou em grandes equipes europeias, como Manchester United, Villarreal, Atlético de Madri e Inter de Milão, e pendurou as chuteiras na Ásia.

Hoje com 40 anos, Forlán também foi fundamental para o Uruguai chegar às semifinais da Copa do Mundo de 2010, na qual recebeu a Bola de Ouro de melhor jogador do torneio e foi um dos maiores artilheiros da competição, com cinco gols marcados.

– Depois de 21 anos, tomei a decisão de encerrar minha carreira de jogador profissional – disse Forlán em um comunicado.

– Um lindo cenário cheio de grandes lembranças e emoções se fecha, mas outro de novos desafios começará. Obrigado a todos que, de uma maneira ou outra, me acompanharam neste caminho!.

Forlán venceu o Campeonato Inglês e a Copa da Inglaterra com o United antes de se mudar para a Espanha, onde ajudou o Atlético a conquistar a Liga Europa em 2010 com dois gols na final contra o Fulham.

Ele ainda liderou os uruguaios na conquista do título da Copa América em 2011, quando também fez dois gols na final em que derrotaram o Paraguai por 3 a 0.

Após um período curto na Superliga Indiana com o Mumbai City em 2016, ele jogou com o Kitchee Sports Club, time da primeira divisão de Hong Kong, no ano passado, pondo fim a uma carreira em que marcou mais de 250 gols para seus times e sua seleção.

Rooney voltará para Inglaterra

O atacante inglês Wayne Rooney trocará o time norte-americano DC United pelo Derby County, em janeiro, e continuará a carreira de jogador ao mesmo tempo em que investe em seu objetivo de se tornar técnico, anunciou o clube da segunda divisão inglesa na terça-feira.

O Derby anunciou que Rooney, hoje com 33 anos, assinou um contrato inicial de 18 meses com a opção de mais um ano e que também trabalhará como assistente-técnico da equipe principal e das divisões de base.

– Estou muito empolgado com a oportunidade que o Derby County me ofereceu – disse o ex-atacante do Manchester United e do Everton em um comunicado publicado no site do time.

– Mal vejo a hora de me unir a (técnico) Phillip Cocu, sua equipe e o time principal a partir do início de janeiro. Tenho certeza de que posso fazer uma grande contribuição… estou igualmente empolgado para começar minha carreira de técnico.

Rooney, que ainda tinha dois anos de contrato com o DC United, disse estar totalmente concentrado em dar tudo ao seu clube no restante da temporada e que espera ajudá-lo a conquistar o campeonato de futebol dos Estados Unidos.

– Meu tempo na (liga norte-americana) MLS é algo de que sempre me orgulharei… e a decisão de ir para casa foi dura, a família é tudo para mim e fazemos esta mudança para estarmos mais perto daqueles que amamos na Inglaterra – acrescentou.

Rooney, o maior artilheiro da história da Inglaterra e do Manchester United, se torna o membro mais recente da chamada “Geração de Ouro” da seleção inglesa a dar seus primeiros passos rumo à carreira de técnico. Ele seguirá o exemplo de nomes como Frank Lampard, que já comandou o Derby, e Steven Gerrard, que treina o Rangers.

– Antes de mais nada, Wayne está se unindo a nós como jogador, mas também terá responsabilidades de técnico – disse o proprietário do Derby, Mel Morris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *