Produtoras de conteúdo preveem 2021 intenso e até falta de equipes

Arquivado em: Coluna da TV, Cultura, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 19 de novembro de 2020 as 09:55, por: CdB

As principais produtoras de conteúdo do país, casos de Paranoid, Floresta, Formata, Mixer, Endemol, O2 Filmes… foram obrigadas a paralisar dezenas de trabalhos e adiar vários outros, por causa da pandemia.

Por Flávio Ricco – do Rio de Janeiro

Colaboração – José Carlos Nery

As principais produtoras de conteúdo do país, casos de Paranoid, Floresta, Formata, Mixer, Endemol, O2 Filmes… foram obrigadas a paralisar dezenas de trabalhos e adiar vários outros, por causa da pandemia. Filmar nas condições atuais, seguindo à risca os protocolos de saúde, poderia comprometer a qualidade de determinados roteiros. Só para 2021, enfim, é que se imagina um melhor cenário.

Erika Januza em cena de ‘Arcanjo Renegado’, exibida na Globoplay
Erika Januza em cena de ‘Arcanjo Renegado’, exibida na Globoplay

Mas existe um problema! Com tantos projetos “represados” e aguardando a vez, corre-se o risco de faltar mão de obra especializada.

É sempre válido destacar que qualquer uma dessas empresas opera simultaneamente, e em frentes bem diferentes, para o streaming, TV paga e TV aberta.

Essa questão, importante, já preocupa executivos de produtoras independentes. “Vai embolar tudo ano que vem”, aposta um deles, “em especial os que envolvem dramaturgia”.

Em um mercado que promete ficar ainda mais aquecido, as chances de quem se organizar melhor e a partir de agora, serão muito maiores.

TV Tudo

Ao trabalho

Mariana Weickert está de volta ao Domingo Espetacular, na Record, após cumprir licença-maternidade, e deve reaparecer na próxima edição do programa.

Em junho, Mariana deu à luz ao seu segundo filho, Felipe.

Vem aí

A propósito de Domingo Espetacular, Roberto Cabrini já aparece com destaque em um teaser divulgado na programação da Record.

Cabrini, integrado à equipe, está desenvolvendo a sua reportagem de estreia, que poderá acontecer a qualquer momento. Até neste próximo final de semana.

Detalhes

Fera Ferida completou 27 anos e seu autor, Aguinaldo Silva, contou algumas curiosidades em rede social. “Era para ser uma minissérie. Mas quando o mago Jorge Adib leu a sinopse, foi até o Boni e falou: ‘isso daqui é uma novela, caraco!’”.

E revelou mais: “o título original era Nova Califórnia, o mesmo do conto de Lima Barreto no qual me inspirei. Mas Boni resolveu mudar para Fera Ferida por causa da música de Roberto Carlos…”, relata Aguinaldo.

Outra curiosidade

Aguinaldo e seus colaboradores decidiram que a mocinha de Fera Feriada, Linda Inês (Giulia Gam) não seria virgem. “Afinal, ela morara sozinha na capital durante alguns anos, era dona do próprio nariz, era firme e decidida…”.

– Houve algum trauma quanto a isso, mas, no final, nossa teoria prevaleceu e, a partir dali, as mocinhas das novelas deixaram de ser virgens obrigatoriamente. Acho que hoje em dia nenhuma delas é mais – conclui.

Lima

O Metrópolis, da TV Cultura, nesta sexta-feira às 19h40, entrevista Lima Duarte.

O ator fala sobre a vida, os 90 anos, dos 70 anos da TV e a exposição que marca sua trajetória no Itaú Cultural.

Fotografia

Ana Maria Braga foi fotografada para a exposição A Cara de São Paulo, trabalho de Catarina Machado e Bruno Sereno.

A curadoria é do maestro João Carlos Martins e da própria Ana Maria.

Em discussão

Nunca se falou tanto em Olimpíada nos programas esportivos. E com razão.

A próxima, no Japão, já tem datas e até “cenários” para sua realização, como as “bolhas” da NBA. Mas o fato é que muitos ainda entendem que os Jogos Olímpicos não deveriam ser feitos, mesmo no ano que vem, por causa da pandemia. Nem condições para a preparação dos atletas ainda existem.

Rádio

A Play FM 92.1, do Grupo Bandeirantes, estreia nesta sexta-feira, às 19h30, o programa Replay, com apresentação de Luciana Dias e Zeca Camargo.

Os dois falando sobre bastidores de grandes shows e contando histórias da música brasileira e internacional, anos 1980, 1990 e 2000.

Tem nome

Boa Noite Brasil é o título escolhido para o novo programa do Geraldo Luís na Record.

Estreia em janeiro, como formato de temporada. E o apresentador também prepara para a ocasião, a sua nova cabeleira.

Bate – Rebate

•     Rogério Assis, nome conhecido do rádio, estreou no BandSports, com a narração de Venezuela e Chile na noite de quarta-feira.

•     Curiosa a reação de alguns ao comportamento de William Bonner e Renata Vasconcellos em uma falha técnica no Jornal Nacional

•     … Os dois foram absolutamente espontâneos, naturais, ao tentar uma informação da técnica. Qual o problema?…

•     … Apresentador de telejornal não é robô.

•     Começaram os trabalhos de Bem-vindo a Quixeramobim, com direção de Halder Gomes…

•     … O filme, com locações em Quixadá e Quixeramobim, tem Monique Alfradique, Edmilson Filho e Luís Miranda em seu elenco.

•     Lee Taylor está confirmado na segunda temporada de Irmandade na Netflix.

•     No SBT, a possibilidade da sua dramaturgia voltar a trabalhar no ano que vem é cogitada…

•     … Mas como certeza, a exibição de novelas inéditas, próprias, só em 2022…

•     … E, por enquanto, essa volta deverá acontecer com Poliana adulta.

. O Grupo Globo anunciou que irá vender a gravadora Som Livre…

. A gravadora está no mercado há mais de 50 anos e possui, atualmente, um elenco de 80 artistas.

C´est fini

A Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais  anunciou ontem o longa que vai representar o Brasil na disputa por uma vaga na categoria Melhor Filme Internacional no Oscar 2021.

Trata-se do documentário Babenco: Alguém tem que ouvir o coração e dizer: parou, de Bárbara Paz.

Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *