Profissionais da Saúde do Rio fazem ato em frente ao Palácio da Cidade

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 13 de dezembro de 2019 as 12:50, por: CdB

Os profissionais reivindicam o pagamento dos salários atrasados e reclamam grave crise que se instalou no setor.

Por Redação, com agências de notícias – do Rio de Janeiro

Servidores municipais de Saúde do Rio de Janeiro  realizaram um protesto nesta sexta-feira em frente ao Palácio da Cidade, em Botafogo, Zona Sul.

Funcionários municipais levam cartazes para frente do Palácio da Cidade
Funcionários municipais levam cartazes para frente do Palácio da Cidade

Os profissionais reivindicam o pagamento dos salários atrasados e reclamam grave crise que se instalou no setor.

Trabalhadores com narizes de palhaço, cartazes e megafones  reivindicavam seus direitos . “Nenhum serviço de saúde a menos em defesa do SUS”, dizia um dos cartazes.

“Todo mundo aqui sem um tostão na conta. É muita mentira desse prefeito, é muito dissimulado. Uma pessoa que se diz cristão, bispo de igreja, como pode mentir dessa forma? Não é possível que a consciência dele não pesa. Quando ele chega em casa, como pode comer sabendo que tem profissionais passando fome?”, segundo um agente comunitário de Saúde.

O ato era feito no mesmo dia em que o ministro interino da Saúde, João Gabbardo, se encontrava com o prefeito Marcelo Crivella. A expectativa era de anunciar uma ajuda emergencial do Governo Federal para o município.

Ajuda emergencial à saúde

O governo federal irá oferecer ajuda emergencial à saúde do município do Rio de Janeiro, de acordo com aviso enviado à imprensa. Nesta sexta-feira, o ministro interino da Saúde, João Gabbardo, assinou termo de acordo com a prefeitura do Rio.

A pasta não adiantou quais serão os termos da ajuda, nem se haverá transferência de recursos.

Na quinta-feira foi o terceiro dia de paralisação dos servidores terceirizados da saúde da cidade. Clínicas da família e centros municipais de saúde geridos por organizações sociais (OSs) estão funcionando apenas com 30% dos profissionais. Estão sendo atendidos apenas casos mais graves, os demais estão sendo encaminhados a outras unidades de saúde.

Os trabalhadores, que são agentes comunitários de saúde, farmacêuticos, técnicos de enfermagem, entre outros, estão com salários atrasados desde outubro.

Decisão judicial

Na quinta-feira, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-RJ) determinou o bloqueio de R$ 300 milhões das contas do município do Rio de Janeiro para o pagamento dos profissionais terceirizados da saúde que estão com os salários atrasados. Os empregados devem voltar ao trabalho assim que forem pagos.

A prefeitura ainda pode recorrer da decisão. Pelas redes sociais, o prefeito Marcelo Crivella não há crise na saúde. “Não há crise, é falsa. Houve sim, atraso de um mês, em alguns casos, dois meses nas OSs, mas só nelas”, diz em vídeo publicado nas redes sociais na tarde de hoje.

De acordo com Crivella, nos grandes hospitais não há atraso de salário. “Os atrasos foram nas OSs, por conta também da péssima gestão de algumas delas, que estamos tirando agora”.

Em nota divulgada hoje, a prefeitura informou que R$ 12,5 milhões deverão ser repassados para as OSs ainda hoje. A partir daí, as organizações têm 24 horas para depositar o salário nas contas dos funcionários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *