Protagonistas relevantes

Arquivado em: Opinião, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 28 de junho de 2019 as 10:06, por: CdB

A medida provisória 873, de 1º de março deste ano, a medida provisória do boleto sindical, caducou, perdeu validade.

Por João Guilherme Vargas Netto – de São Paulo

Editada às vésperas do Carnaval com a intenção malévola de desorganizar ainda mais as relações de trabalho e garrotear os sindicatos dos trabalhadores não teve o apoio das direções partidárias nem das direções das grandes empresas; a malvadeza de Rogério Marinho somente prosperou entre os contadores de empresas dirigidas por patrões-piratas.

A medida provisória 873, de 1º de março deste ano, a medida provisória do boleto sindical, caducou, perdeu validade

As direções sindicais e os deputados ligados aos trabalhadores fizeram um bom trabalho que levou à falência da medida provisória dificultando a instalação e os trabalhos da comissão especial que a analisaria.

A esdrúxula medida caducou, mas deixou sequelas graves que serão possivelmente enfrentadas juridicamente quando terminar o recesso do Judiciário.

Deve se discutir agora uma proposta de projeto de lei que não pode se restringir apenas aos cortes de recursos sindicais e deve legalizar os procedimentos coletivos para sua efetivação.

Congresso Nacional

Ao mesmo tempo em que cresce no Congresso Nacional a confusão sobre a deforma previdenciária com idas e vindas que demonstram as dificuldades de Guedes e Cia., as direções sindicais têm aplicado com inteligência as duas táticas intuitivas capazes de garantir a derrota da PEC previdenciária ou a eliminação de seus artigos mais agressivos e prejudiciais aos [email protected] e [email protected]

Elas terão reunião dia 28 junho para fazer o balanço das iniciativas, reuniões e negociações ocorridas em Brasília durante a semana e para preparar a jornada de manifestações convocada para o dia 12 de julho de esclarecimento, mobilização e protesto contra a deforma.

Em uma conjuntura recessiva que se prolonga e causa inúmeras dificuldades à luta dos trabalhadores (a queda do valor dos reajustes salariais e a perenização do desemprego) as direções sindicais, garantindo sua unidade de ação, vão se afirmando como protagonistas relevantes dos embates políticos e sociais em curso.

 

João Guilherme Vargas Netto, é consultor sindical de diversas entidades de trabalhadores em São Paulo.

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Correio do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *