PT condena assassinato de Soleimani e critica o governo dos EUA

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado sábado, 4 de janeiro de 2020 as 16:48, por: CdB

No comunicado, o PT afirma que os Estados Unidos estimulam conflitos, desestabilizam a região e colhem resultados financeiros expressivos para investidores das indústrias armamentista e do petróleo.

 

Por Redação, com ACSs – de São Paulo

 

O Partido dos Trabalhadores condenou, em nota divulgada neste sábado, o atentado terrorista dos EUA, em solo iraquiano, que matou o general iraniano Qasem Soleimani, segundo na escala de comando militar da república islâmica. A nota foi assinada pela presidente da legenda, deputada Gleisi Hoffmann (PR).

Gleisi Hoffmann, presidente do PT, declara guerra à Rede Globo
Gleisi Hoffmann, presidente do PT, critica a ação dos EUA que culminou com a morte do general iraniano Qasem Soleimani

No comunicado, o PT afirma que os Estados Unidos estimulam conflitos, desestabilizam a região e colhem resultados financeiros expressivos para investidores das indústrias armamentista e do petróleo. O partido também lamentou a decisão do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), de manifestar apoio à ação norte-americana, sob o argumento de combate ao terrorismo.

Leia, adiante, a íntegra do documento:

O Partido dos Trabalhadores (PT) condena com veemência o ataque no dia 2 de janeiro contra militares iranianos, iraquianos e libaneses nas proximidades do aeroporto de Bagdá por mísseis dos Estados Unidos.

A medida levou à morte do General Quasem Soleimani, comandante das forças “Al Quds” do Irã, além da de sete outras pessoas de várias nacionalidades conforme divulgado até o momento.

Lamentável que o governo brasileiro tenha manifestado apoio a tal ação sob o argumento de combate ao terrorismo. Esse argumento falso encobre a atuação sistemática e criminosa dos EUA no Oriente Medio há muito tempo, estimulando conflitos, desestabilizando a região e colhendo resultados financeiros expressivos para investidores das indústrias armamentista e do petróleo.

Oriente Médio

Serve ainda como parte da estratégia de campanha do presidente estadunidense à sua reeleição no segundo semestre deste ano. Esperamos que a opinião pública mundial e a estadunidense em particular se posicionem contra este tipo de manobra eleitoral que somente tende a aprofundar o conflito na região gerando mais violações dos direitos humanos e ressentimentos. Sucessivos governos dos EUA e particularmente o atual, têm contribuído para agravar os litígios no Oriente Médio.

Fazemos um chamado pela paz e pelo cumprimento dos acordos multi e plurilaterais, incluindo o acordo nuclear assinado com o Irã durante o mandato do presidente Barack Obama e é fundamental que o governo dos EUA e de seus aliados recuem imediatamente de sua interferência nociva no Oriente Médio.

Janeiro de 2019.

Partido dos Trabalhadores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *