Rio abre frente emergencial de programa de zeladoria na Zona Oeste

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 1 de julho de 2019 as 14:49, por: CdB

A Prefeitura do Rio deu início na noite deste domingo, na Zona Oeste, a obras da frente emergencial do Programa Cuidar da Cidade.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A Prefeitura do Rio deu início na noite deste domingo, na Zona Oeste, a obras da frente emergencial do Programa Cuidar da Cidade. Os trabalhos começaram na Rua dos Açudes, uma das principais vias de Bangu e a primeira do município a receber os benefícios gerados pelos investimentos de R$ 100 milhões anunciados pelo prefeito na última sexta-feira. O prefeito Marcelo Crivella acompanhou a ação:

Operários trabalham na frente emergencial do Programa Cuidar da Cidade

– Neste domingo começou a nossa campanha de conservação da cidade onde vamos aplicar R$ 100 milhões tapando buracos, mudando o asfalto, da drenagem e das calçadas. Enfim, melhorando muito a nossa cidade – afirmou Crivella.

Cerca de 40 operários e dez caminhões e tratores iniciaram as obras, acompanhados pelos secretários municipais de Infraestrutura e Habitação, Sebastião Bruno, e de Conservação, Roberto Monteiro da Silva. Toda a extensão da Rua dos Açudes, que tem 450 metros, está sendo fresada para que a nova pavimentação seja implantada. A previsão é de que 300 toneladas de asfalto sejam consumidas somente nesta via em cinco dias de serviço.

– É o primeiro passo de um grande plano de recuperação do asfalto da cidade e de oferta de outros serviços que começa por Bangu e seguirá por outros importantes polos da Zona Oeste como Campo Grande e Santa Cruz – afirmou o secretário Sebastião Bruno.

Buracos

Ao todo serão tapados 250 mil buracos, 11 mil quilômetros de ruas e avenidas serão recapeados e haverá drenagem e desobstrução de 750 mil bueiros para a prevenção a enchentes. A frente emergencial multiplica em quase três vezes a capacidade de trabalho da Secretaria Municipal de Conservação. O número de turmas em serviço subirá de 72 para 193, beneficiando toda a cidade.

– Esse projeto vai trazer para a cidade muitos benefícios na área de conservação com investimentos elevados em drenagem, pavimentação e manutenção de calçadas públicas, melhorando a qualidade de vida da população – afirmou o secretário Roberto Monteiro da Silva.

Nos próximos 12 meses, o plano prevê ainda que sejam tapados 68 mil buracos em calçadas públicas. Destes, oito mil são de pedra portuguesa. A estimativa é solucionar também 4,8 mil casos de afundamento, buracos com rompimento da galeria de drenagem. Há previsão de pavimentação de ruas ainda não asfaltadas num total de 210 mil metros quadrados de pistas.

– Estamos muito felizes com o início da obra. É um desejo antigo dos moradores. Essa é uma iniciativa que vai melhorar a vida de todos. O investimento na infraestrutura aumenta também a segurança na região – afirmou Maria Lúcia Sobrinho de Oliveira, presidente da Associação da Praça Trinas Fox, localizada na Rua dos Açudes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *