Seleção feminina dos EUA deve ir ao tribunal contra federação de futebol

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Futebol, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 15 de agosto de 2019 as 13:34, por: CdB

Cerca de 28 delas levaram a USSF à corte em março alegando que vêm recebendo menos do que seus colegas homens de forma constante, embora seu desempenho em campo seja superior.

Por Redação, com Reuters – de Washington

As jogadoras que processaram a Federação de Futebol dos Estados Unidos (USSF) exigindo paridade salarial anunciaram que as conversas fracassaram na quarta-feira e que agora procurarão os tribunais, onde “esperam ansiosamente por um julgamento por júri”.

Jogadoras da seleção feminina de futebol dos EUA levantam troféu da Copa do Mundo

Cerca de 28 delas levaram a USSF à corte em março alegando que vêm recebendo menos do que seus colegas homens de forma constante, embora seu desempenho em campo seja superior.

A ação civil delineou anos de discriminação de gênero institucionalizada, alegando que as condições de viagem, a equipe médica, a divulgação dos jogos e os treinamentos são menos favoráveis para as mulheres, que são tetracampeãs mundiais, do que para a seleção masculina, que nunca conquistou um Mundial e sequer se classificou para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Copa do Mundo da França

Os dois lados esperavam resolver a situação em uma mediação, mas as atletas, que defenderam seu título recentemente na Copa do Mundo da França, disseram que as esperanças de um entendimento acabaram.

– Hoje precisamos concluir que estas reuniões decepcionaram profundamente pela determinação da federação de perpetuar condições e comportamento fundamentalmente discriminatórios no local de trabalho – disse a porta-voz das jogadoras, Molly Levinson, em um comunicado.

Um porta-voz da USSF disse que a entidade está decepcionada por a medição ter fracassado.

– Infelizmente, ao invés de permitir que a medição progredisse de uma maneira conscienciosa, a representação das reclamantes adotou uma abordagem agressiva e por fim contraproducente após meses apresentando informações enganosas ao público no esforço de perpetuar a confusão – disse Neil Buethe em um comunicado ao Yahoo Sports.

Jogador de futebol mais jovem

O time de futebol Orange County contratou Francis Jacobs, de 14 anos, tornando-o o profissional masculino mais jovem da história do esporte nos Estados Unidos, informou o clube da Califórnia na terça-feira.

Jacobs, que tem 14 anos, quatro meses e 29 dias de idade, assinou um contrato com o time de segunda divisão e pode estrear no sábado diante do Las Vegas Lights.

– Estou muito feliz por Francis, que é um talento local jovem e dotado, se unir ao nosso time – disse o técnico Braeden Cloutier. “Fiquei muito impressionado com sua postura e com a habilidade com a bola que ele nos mostrou nestes últimos meses”.

Jacobs também treinou com o Bayer Leverkusen e o Koln.

Sua contratação supera a de Freddy Adu, que tinha 14 anos, cinco meses e 16 dias de idade quando foi para o DC United em 2003.

Adu conseguiu um grande contrato com a Nike, mas passou por vários times e nunca causou o impacto que seu potencial indicava.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *