Senado recebe processo de impeachment em dia de cerimônia e formalidade

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 16 de janeiro de 2020 as 12:53, por: CdB

O Senado dos Estados Unidos adotou medidas formais nesta quinta-feira para avaliar o afastamento do presidente Donald Trump por abuso de poder.

Por Redação, com Reuters – de Washington

O Senado dos Estados Unidos adotou medidas formais nesta quinta-feira para avaliar o afastamento do presidente Donald Trump por abuso de poder, mas questões centrais, como se testemunhas deporão ou não em seu julgamento de impeachment, continuam no ar.

Presidente dos Estados Unidos Donald Trump
Presidente dos Estados Unidos Donald Trump

Na quarta-feira, a Câmara dos Deputados de maioria democrata enviou duas acusações formais contra Trump ao Senado controlado pelos republicanos, encaminhando o início do terceiro julgamento de impeachment de um presidente norte-americano na semana que vem.

A cerimônia, e não a substância, dará o tom dos procedimentos desta quinta-feira, quando os vários “promotores” da Câmara que processam Trump apresentarão os artigos de impeachment ao Senado às 12h.

O Senado convidou o presidente da Suprema Corte, John Roberts, a ir à Casa às 16h (horário de Brasília) para fazer o juramento como presidente do julgamento. A seguir os 100 senadores prestarão juramento e o Senado notificará a Casa Branca a respeito do julgamento iminente de Trump.

Câmara dos Deputados

Seguindo essencialmente os alinhamentos partidários, A Câmara dos Deputados aprovou por 228 a 193 encarregar o Senado de julgar o presidente republicano devido a acusações de abuso de poder por pedir à Ucrânia para investigar o rival político Joe Biden e de obstrução de Congresso por barrar depoimentos e documentos solicitados pelos parlamentares democratas.

O Senado deve absolver Trump e mantê-lo no cargo, já que nenhum dos 53 republicanos expressou apoio à sua remoção —uma medida que exigiria uma maioria de dois terços.

Mas o impeachment de Trump na Câmara no mês passado é uma mácula em seu histórico, e o julgamento televisionado no Senado pode lhe criar constrangimento agora que ele busca a reeleição. O ex-vice-presidente Biden é um dos favoritos da disputa pela indicação democrata para enfrentá-lo na eleição de 3 de novembro.

Trump nega irregularidades e qualificou o processo de impeachment como uma farsa.

Presidente ucraniano

Um evento crucial para o processo foi um telefonema de 25 de julho no qual Trump pediu ao presidente ucraniano que investigasse Biden e seu filho, Hunter Biden, por corrupção e que analisasse uma teoria desacreditada segundo a qual a Ucrânia, e não a Rússia, tinha interferido na eleição norte-americana de 2016.

Os republicanos argumentam que esta ação e a retenção de US$ 391 milhões em ajuda de segurança à Ucrânia em troca das investigações não chegam a ser delitos dignos de impeachment, e acusaram os democratas de usarem o caso ucraniano para anular a vitória de Trump em 2016.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *