Série ‘O Doutrinador’, de fundo neofascista, ganha reprises na Semana da Pátria

Arquivado em: Cultura, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado domingo, 8 de setembro de 2019 as 15:48, por: CdB

A temática da série O Doutrinador, que desaguou na eleição do presidente neofascista Jair Bolsonaro (PSL), é consagrada no discurso de ultradireita.

 

Por Redação – do Rio de Janeiro

 

Cerca de 300 mil pessoas já conheceram, nas salas de cinema, a saga do anti-herói brasileiro que acaba de estrear na TV. O ator Kiko Pissolato, mesmo protagonista do filme, encarna o papel do justiceiro na série O Doutrinador. Trata-se do enredo em que o policial civil decide fazer justiça com as próprias mãos, em um país dominado por políticos corruptos.

Um policial se torna justiceiro na série O Doutrinador
Um policial se torna justiceiro na série O Doutrinador

A temática, que desaguou na eleição do presidente neofascista Jair Bolsonaro (PSL), é consagrada no discurso de ultradireita, que criminaliza a política e incentiva ações criminosas, exatamente, dos poderes que deveriam se pautar pelas leis e a Constituição do país.

O capítulo inicial da série foi reprisado, em horário nobre, neste 7 de setembro, no Space, canal da TV fechada. Adaptado da HQ homônima em estilo heavy metal, escrita por Luciano Cunha, o longa foi elogiado pela crítica conservadora por alcançar uma narrativa no nível das super-produções norte-americanas, embora tenha um orçamento reduzido.

Prostituição

A séria conta com sete episódios de 45 minutos. No elenco, Eduardo Moscovis, Tainá Medina, Natália Lage, Natallia Rodrigues e a apresentadora Marília Gabriela, no papel de uma ministra fictícia Marta Regina.

O Doutrinador já se tornou uma franquia e terá um segundo filme em 2020. O tema se amplia para temas polêmicos como a prostituição, o charlatanismo, e a corrupção endêmica no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *