SMASDH age em parceria com a Patrulha Maria da Penha

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 18 de setembro de 2019 as 13:36, por: CdB

Dados do Dossiê Mulher apontam que 74% dos casos de violência ocorridos de 2011 até 2019 no município do Rio de Janeiro são cometidos contra o sexo feminino.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

Dados do Dossiê Mulher apontam que 74% dos casos de violência ocorridos de 2011 até 2019 no município do Rio de Janeiro são cometidos contra o sexo feminino.

Com dados alarmantes, a Polícia Militar precisou criar um novo serviço, a Patrulha Maria da Penha

Entre as violências notificadas contra mulheres no ano de 2018, 1.279 foram tentativas de homicídio, 6.183 foram atos de violência interpessoal. Destes números, 90,6% foram de violência física, 26,3% psicológica, 8,8% sexual. Uma média de 50% das notificações foi de violência nas residências.

Com dados alarmantes, a Polícia Militar precisou criar um novo serviço, a Patrulha Maria da Penha. A viatura é exclusiva e tem um diferencial que chama a atenção por onde passa a faixa lilás, símbolo mundial que representa o feminino e as frases “Patrulha Maria da Penha” e “Guardiões da Vida”.

A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), por intermédio da Subsecretaria de Políticas para a Mulher (SUBPM), recebeu no Centro Administrativo São Sebastião (CASS), na Cidade Nova, região central do Rio de Janeiro, a visita dos agentes da Patrulha Maria da Penha.

A subchefe do Escritório de Programas de Prevenção da Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro, major Cláudia Moraes, fala sobre a parceria com a SUBPM. “Neste primeiro momento de implementação da Patrulha, os nossos policiais tem sido muito bem recebidos. Eles foram treinados para esta atuação em rede porque, apesar de trabalharem com a questão da fiscalização da medida protetiva e em boa parte ter uma atividade voltada para a parte jurídica, existe também toda a questão de acolhimento, pois só a atuação deles não seria o suficiente” – explica.

Ela conta que é preciso encaminhar as mulheres para o prosseguimento da ruptura do ciclo de violência, seguindo por outros caminhos, outros órgãos. “Nossos policias tem conseguido isso.

Centro de Atendimento à Mulher

Logo nos primeiros dias, os agentes já procuraram o Centro de Atendimento à Mulher (CEAM), Chiquinha Gonzaga, assim como os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS), da SMASDH. Essa parceria tem sido muito efetiva e a forma como eles têm sido recebidos nos serviços do município tem sido bastante acolhedora e isso deixa os policiais também muito felizes na sua atuação de saber que essas mulheres tem mais retaguarda, além daquela que a PM tá ofertando”, comemora.

O secretário João Mendes afirma que é um enorme prazer contar com esta parceria. “O trabalho com as mulheres é de grande importância. A Patrulha Maria da Penha está de parabéns. Nossos equipamentos estão à disposição para o avanço dessas ações, que visam a quebra do ciclo de violência. Vou lutar para que cada mulher carioca tenha o respeito que merece e a garantia de seus direitos”, afirma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *