Sobe número de jornalistas mortos em ataque no Afeganistão

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 30 de abril de 2018 as 14:07, por: CdB

Foi o dia mais mortal para a mídia do país desde que uma campanha liderada pelos Estados Unidos derrubou o regime islâmico Talebã em 2001

Por Redação, com Reuters – de Cabul:

Cerca de 10 jornalistas foram mortos no Afeganistão nesta segunda-feira, incluindo nove repórteres e fotógrafos que morreram em um atentado suicida com bombas na capital Cabul e um jornalista que trabalhava para o serviço em língua afegã da BBC que foi morto a tiros na cidade de Khost.

Cerca de 10 jornalistas foram mortos no Afeganistão nesta segunda-feira

Foi o dia mais mortal para a mídia do país desde que uma campanha liderada pelos Estados Unidos derrubou o regime islâmico Talebã em 2001.

Em Cabul, jornalistas cobrindo uma explosão de bomba durante a hora do rush da manhã; estavam em um grupo perto do local da explosão quando um homem-bomba se explodiu; matando sete pessoas e ferindo várias, duas das quais morreram mais tarde.

O suicida

O suicida parece ter tido deliberadamente como alvo os jornalistas; apresentando um cartão de imprensa para a polícia antes de se juntar ao grupo que estava perto do local da explosão; disse o porta-voz do Ministério do Interior Najib Danesh.

Ao todo, 26 pessoas morreram nas duas explosões de Cabul; que foram reivindicadas pelo Estado Islâmico.

Entre os mortos estavam Shah Marai, veterano e chefe de fotografia da agência France-Presse no Afeganistão; que trabalhava para a agência há 22 anos. Também foi morto Maharam Durani; uma jovem produtora que havia se juntado à Radio Azadi, uma estação local, apenas uma semana antes.

O fotógrafo

O fotógrafo da agência inglesa de notícias Reuters Omar Sobhani; um velho amigo e colega de Shah Marai, estava ao lado dele quando a bomba explodiu.

– Estávamos parados em uma pequena elevação para ter um melhor campo de visão para a foto quando ouvi um estrondo e o vi no chão. Fiquei chocado, não pude acreditar – disse Sobhani, que sofreu ferimentos leves.

Em Khost, Ahmad Shah, que trabalhava para o serviço de idioma pashto da BBC e também para a Reuters, foi morto na periferia da cidade, de acordo com Talib Mangal, porta-voz do governador da província de Khost. A BBC confirmou a morte em um comunicado no Twitter.

Não há indicação de qualquer ligação direta entre os ataques em Kabul e Khost.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *