Sobe número de policiais assassinados no Estado do Rio

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 30 de janeiro de 2018 as 11:40, por: CdB

O Disque-Denúncia está oferecendo uma recompensa de R$ 5 mil para quem der informações sobre os responsáveis pelo crime

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

O terceiro-sargento reformado Vaulir Richard de A. Costa, de 49 anos, foi morto na noite anteiro na Praia de Mauá, em Magé, na Baixada Fluminense. Ele foi atingido por diversos tiros enquanto caminhava pela Estrada Nova de Mauá e se tornou o 12º policial militar (PM) assassinado neste ano no Estado do Rio.

Sargento morto na Baixada Fluminense é o 12º PM assassinado este ano no Rio

De acordo com o Disque-Denúncia, que está oferecendo uma recompensa de R$ 5 mil para quem der informações sobre os responsáveis pelo crime, três criminosos passaram em um carro Corolla prateado, atiraram contra o policial e fugiram.

Vaulir chegou a ser socorrido e levado para um posto médico, mas não resistiu aos ferimentos. A polícia acredita que se trata de execução. Ele já estava aposentado da Polícia Militar e trabalhava como segurança de um supermercado próximo ao local onde foi morto.

Ação da Polícia Civil

Uma ação da Polícia Civil deixou três mortos na comunidade do Jacarezinho, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil; eles foram baleados em confronto com os agentes e chegaram a ser levados para o hospital. Mas não resistiram aos ferimentos.

Cerca de 300 agentes de várias delegacias fazem nesta terça-feira uma ação no Jacarezinho; com o objetivo de cumprir mandados de prisão contra integrantes da quadrilha que controla a venda de drogas na comunidade, inclusive os suspeitos de matar o delegado Fábio Monteiro e o agente Bruno Guimarães Buhler.

Até o início da tarde de hoje, 12 pessoas tinham sido presas na ação. O delegado Fábio Monteiro foi assassinado na comunidade em 12 de janeiro deste ano, enquanto o agente Bruno Buhler morreu durante uma ação policial em agosto do ano passado.

PRF apreende caminhão de combustível

Uma carreta transportando mais de 600 quilos de maconha prensada foi apreendida na segunda-feira por agentes da polícia rodoviária federal (PRF) na rodovia Rio-Juiz de Fora (BR-040), em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A droga estava escondida nos tanques de combustível de uma carreta usada para transportar derivados de petróleo.

A carreta estava parada no acostamento, o que chamou a atenção dos policiais. Os agentes ao se aproximarem do motorista, de 40 anos, notaram que ele estava muito nervoso. Em seguida, foi acionado o Grupo de Ações com Cães da PRF, com  três cães farejadores treinados para descobrir substância entorpecente. Os cães rapidamente identificaram a presença de droga nos dois  tanques de combustível.   

O motorista acabou confessando que trouxe a droga do Paraná com destino ao Rio de Janeiro, mas não quis dizer onde entregaria a mercadoria. Os agentes abriram os tanques e encontram 625 quilos de maconha, divididos em centenas de tabletes.

Além do motorista da carreta, foram presos também dois homens de 41 e 42 anos, que em um carro de passeio davam cobertura ao motorista da carreta e acabaram presos em Petrópolis, na região serrana do Rio. Os três foram indiciados pelo crime de tráfico de entorpecentes, cuja pena varia de 5 a 15 anos de reclusão. O caso foi registrado na delegacia policial de Petrópolis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *