STJ confirma decisão de manter Wilson Witzel afastado do Palácio Guanabara por 180 dias

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 2 de setembro de 2020 as 18:48, por: CdB

“Não recebi qualquer valor desviado dos cofres públicos, o que foi comprovado na busca e apreensão. Continuarei trabalhando na minha defesa para demonstrar a verdade e tenho plena confiança em um julgamento justo”, escreveu Witzel.

Por Redação – de Brasília e Rio de Janeiro

“Respeito a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Compreendo a conduta dos magistrados diante da gravidade dos fatos apresentados. Mas, reafirmo que jamais cometi atos ilícitos…”, escreveu o governador afastado do governo do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, após uma fragorosa derrota. Logo após às 18h30, o Plenário do STJ consolidou a decisão do relator Benedito Gonçalves. O voto divergente coube ao ministro Napoleão Nunes Maia Filho votou contra o entendimento de afastar o governador por 180 dias.

O candidato Wilson Witzel (PSL) estaria inelegível, com base na Lei da Ficha Limpa
O governador Wilson Witzel (PSC) foi afastado do Palácio do Planalto, por 180 dias, por suspeita de corrupção milionária

“Não recebi qualquer valor desviado dos cofres públicos, o que foi comprovado na busca e apreensão. Continuarei trabalhando na minha defesa para demonstrar a verdade e tenho plena confiança em um julgamento justo. Desejo ao governador em exercício, Cláudio Castro, serenidade para conduzir os trabalhos que iniciamos juntos e que possibilitaram devolver ao povo fluminense a segurança nas ruas e, com isso, a esperança em um futuro melhor”, acrescentou Witzel.

Denúncia

Ao todo, nove pessoas foram denunciadas pela Procuradoria Geral da República (PGR). Segundo a Procuradoria, o governo do Rio criou um esquema de desvios nas contratações emergenciais e liberação de pagamentos a organizações sociais (OSs).

A suspeita é de que o governador tenha recebido, utilizando o escritório de advocacia de sua mulher pelo menos R$ 554 mil em propina. O MPF apontou uma transferência de R$ 74 mil de Helena Witzel para a conta do governador. A apuração começou com a investigação de irregularidades na contratação dos hospitais de campanha, respiradores e medicamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *