Surto de coronavírus está ‘só começando’ fora da China, diz especialista

Arquivado em: Destaque do Dia, Saúde, Últimas Notícias, Vida & Estilo
Publicado quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020 as 10:51, por: CdB

A epidemia de coronavírus pode estar chegando ao pico da China, onde foi detectada na cidade central de Wuhan, mas está só começando no resto do mundo.

Por Redação, com Reuters – de Cingapura

A epidemia de coronavírus pode estar chegando ao pico da China, onde foi detectada na cidade central de Wuhan, mas está só começando no resto do mundo e provavelmente se espalhará, disse um especialista global em doenças infecciosas nesta quarta-feira.

Espectadores com máscaras de proteção acompanham demonstração aérea em Cingapura
Espectadores com máscaras de proteção acompanham demonstração aérea em Cingapura

O principal conselheiro médico do governo chinês disse que a doença está atingindo um pico em seu país e que pode ser debelada até abril. Ele ainda disse que baseou sua previsão em modelos matemáticos, acontecimentos recentes e uma ação governamental.

Mas Dale Fisher, presidente da Rede Global de Alerta e Resposta a Surtos, que é coordenada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), disse que o “curso de tempo” previsto pode estar correto caso se permita que o vírus se dissemine livremente em Wuhan.

– É justo dizer que é exatamente isso que estamos vendo – disse ele à agência inglesa de notícias Reuters em uma entrevista. “Mas ele se espalhou para outros lugares onde o surto está começando. Em Cingapura, estamos no início do surto.”

O vírus semelhante à gripe já matou mais de 1,1 mil pessoas e infectou quase 45 mil, predominantemente na China e a maioria em Wuhan.

Casos de coronavírus

Cingapura relatou 50 casos de coronavírus, uma das maiores cifras fora da China, o que inclui indícios crescentes de transmissão local.

– Mas realmente acredito que eventualmente todo país terá um caso – disse Fisher.

Indagado sobre a razão de tantos casos em Cingapura, ele respondeu que, comparativamente, existem mais exames sendo realizados na ilha.

– Temos um índice muito baixo de suspeita ao examinar as pessoas assim… mas temos uma determinação maior – disse, mas acrescentando que ainda se desconhece muito sobre a transmissão do vírus.

Kenneth Mak, diretor de serviços médicos do Ministério da Saúde de Cingapura, disse em uma coletiva de imprensa que é difícil ter confiança em projeções de que a epidemia terá um pico na China neste mês, mas que, de qualquer maneira, picos em outros países ocorrerão um ou dois meses mais tarde do que na China.

Fisher disse não haver justificativa para o pânico que está levando as pessoas a comprarem itens básicos, como arroz e papel higiênico, visto em Cingapura.

– Não existe indício de que teremos escassez de nada – disse. “Eu ficaria de cabeça fria.”

OMS

A epidemia de coronavírus na China pode terminar até o mês de abril, afirmou o principal conselheiro de Saúde do país na terça-feira, mas as mortes por causa da doença ultrapassaram o número de mil e a Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou para uma ameaça global potencialmente pior que o terrorismo.

O mundo deve “acordar e considerar esse vírus inimigo como o inimigo público número um”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, a jornalistas, acrescentando que a primeira vacina para o vírus deve levar ainda 18 meses para ficar pronta.

Enquanto a epidemia assola a segunda maior economia do mundo, empresas chinesas tinham dificuldades para voltar ao trabalho após o feriado extendido do Ano Novo Lunar, centenas delas anunciaram que irão precisar de empréstimos que chegarão aos bilhões de dólares para continuarem em operação.

Empresas estavam começando a fazer demissões apesar das garantias do presidente chinês, Xi Jinping, de que os cortes generalizados seriam evitados após as cadeias produtivas de montadoras automobilísticas e fabricantes de smartphones serem interrompidas.

O principal conselheiro médico da China na epidemia, Zhong Nanshan, disse que os números de novos casos estavam em queda em algumas províncias e previu que a epidemia chegaria ao auge neste mês.

Síndrome Aguda Respiratória Severa

– Espero que este surto ou evento esteja no fim em algum momento em abril – disse à Reuters Zhong, 83, um epidemiologista que desempenhou um papel no combate à epidemia da Síndrome Aguda Respiratória Severa (SARS) em 2003.

A província chinesa de Hubei, epicentro de um surto de coronavírus, registrou 1.638 novos casos e 94 novas mortes na terça-feira, informou a autoridade de saúde local na quarta-feira (horário local).

Antes desses dados, a OMS havia informado na terça-feira que 1.017 pessoas haviam morrido na China, onde foram registrados 42.708 casos.

Apenas 319 casos foram confirmados em 24 outros países e territórios fora da China continental, com duas mortes: uma em Hong Kong e a outra nas Filipinas.

Os mercados globais, que viram inúmeras rodadas de vendas por conta do impacto do coronavírus na economia chinesa e seus efeitos decorrentes pelo mundo, tiveram altas recordes após os comentários de Zhong.

Estatísticas da China indicam que cerca de 2% das pessoas infectadas com o novo vírus morreram, e muitas delas tinham condições médicas pré-existentes ou eram idosas. Mas a propagação do vírus, que causa febre, tosse e dificuldades respiratórias, já causou distúrbios generalizados.

O presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard, disse que a economia chinesa deverá “desacelerar visivelmente” no primeiro trimestre e que qualquer um que esteja precificando ativos agora deveria considerar o risco de que a epidemia pode piorar.

Mas o presidente do banco central britânico, Mark Carney, afirmou que a repercussão financeira da epidemia parecia controlável, embora ainda fosse cedo para julgar o impacto econômico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *