Surto de coronavírus pode terminar na China em abril, diz especialista

Arquivado em: Destaque do Dia, Saúde, Últimas Notícias, Vida & Estilo
Publicado terça-feira, 11 de fevereiro de 2020 as 11:07, por: CdB

 O pico deve ocorrer na metade ou no final de fevereiro, seguido por uma estabilização e uma redução, disse Zhong, baseando sua previsão em modelos matemáticos, acontecimentos recentes e uma ação governamental.

Por Redação, com Reuters – de Guangzhou, China/Genebra

O surto de coronavírus está chegando ao auge na China neste mês e pode ser debelado até abril, disse o conselheiro médico mais graduado do governo nesta terça-feira na avaliação mais recente de uma epidemia que está assustando o mundo.

Zhong Nanshan, chefe da equipe da Comissão Nacional de Saúde da China
Zhong Nanshan, chefe da equipe da Comissão Nacional de Saúde da China

Em uma entrevista à agência inglesa de notícias Reuters, Zhong Nanshan, epidemiologista de 83 anos que ficou famoso por combater uma epidemia de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) em 2003, chorou ao falar do médico Li Wenliang, que morreu na semana passada depois de ser repreendido por dar o alerta.

Mas Zhong acredita que o novo surto diminuirá em breve porque o número de novos casos já começou a cair em alguns lugares.

O pico deve ocorrer na metade ou no final de fevereiro, seguido por uma estabilização e uma redução, disse Zhong, baseando sua previsão em modelos matemáticos, acontecimentos recentes e uma ação governamental.

– Espero que este surto ou este evento termine lá para abril – disse ele em uma ronda hospitalar na Universidade Médica de Guangzhou, onde 11 pacientes com coronavírus estão sendo tratados.

Embora seus comentários possam apaziguar parte do temor global com o coronavírus, que já matou mais de mil pessoas e provocou mais de 40 mil casos, quase todos na China, a previsão anterior de Zhong sobre um pico do surto se mostrou prematura.

– Não sabemos porque ele é tão contagioso, então isso é um grande problema – acrescentou ele, que ajudou a identificar falhas nos sistemas de reação de emergência chineses durante a crise de Sars de entre 2002 e 2003.

Ele disse que houve uma redução gradual de novos casos na província de Guangdong, no sul, onde ele está, e também em Zhejiang e outras partes. “Então isso é uma boa notícia para nós.”

Agora que a China está adotando medidas inéditas para isolar regiões infectadas e limitar as rotas de transmissão, Zhong aplaudiu o governo por interditar Wuhan, a cidade do epicentro do surto, que ele disse ter perdido o controle do vírus em um estágio inicial.

– O governo local, a autoridade de saúde local deveriam ter alguma responsabilidade por isso – disse. “Seu trabalho não foi bem feito.”

Wuhan

Acredita-se que o vírus surgiu em um mercado de frutos do mar de Wuhan no início de dezembro.

As autoridades também vêm sendo criticadas pelo tratamento duro dado ao falecido doutor Li, que foi detido por divulgar a doença antes de se tornar sua vítima mais conhecida na sexta-feira.

– A maioria das pessoas pensa que ele é o herói da China – disse Zhong, enxugando as lágrimas. “Estou muito orgulhoso dele, ele disse a verdade às pessoas, no final de dezembro, e depois faleceu.”

Emergência

O surto de coronavírus representa uma “ameaça muito grave para o resto do mundo”, disse o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta terça-feira em um apelo pelo compartilhamento de amostras de vírus e pela intensificação das pesquisas em medicamentos e vacinas.

– Com 99% dos casos na China, isso permanece uma grande emergência para o país, mas representa uma grave ameaça para o resto do mundo – disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, nas declarações de abertura de uma reunião com mais de 400 pesquisadores e autoridades nacionais, algumas participando por vídeo-conferência da China continental e de Taiwan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *