Se acordo Mercosul/UE for para o ralo, culpem o Brasil, avalia especialista

Bolsonaro disse que nomeou Ernesto Araújo por sua vida pregressa no Serviço Público

Ariane Roder, professora na área de Relações Internacionais do Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPEAD/UFRJ), avalia que o acordo Mercosul-UE representou o fim de anos de inércia, mas agora pesa o risco de que não seja ratificado devido a fatores internos e externos à América do Sul.

Continue lendo