Ministro alemão nega existência de recessão real

Ministro alemão vê uma política financeira muito expansionista e o maior investimento público de todos os tempos

A Alemanha não está perto de uma recessão real, mas está passando por um período de crescimento mais lento, disse o ministro das Finanças, Olaf Scholz, em entrevista à Euronews, acrescentando que a resolução das tensões comerciais, “criadas pelo homem”, ajudaria a impulsionar a economia.

Continue lendo

Economia da zona do euro pode contrair no 4º trimestre

A atividade empresarial da zona do euro expandiu ligeiramente mais rápido do que o esperado no mês passado mas permaneceu perto da estagnação, de acordo com a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), sugerindo que qualquer pequeno crescimento que haja pode se dissipar. O PMI Composto final do IHS Markit para a zona do euro subiu a 50,6 ante a mínima de mais de seis anos de setembro de 50,1 e acima da preliminar de 50,2. Entretanto, o índice permaneceu perto da marca de 50 que separa crescimento de contração.

Continue lendo

China pressiona Estados Unidos por mais recuos em tarifas

A China está pressionando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a remover mais tarifas impostas em setembro como parte da “fase um” de um acordo comercial entre EUA e China, disseram fontes familiarizadas com as negociações na segunda-feira. Uma autoridade norte-americana disse que o futuro das tarifas de 15 de dezembro está sendo considerado parte das negociações e de uma possível viagem para a assinatura este mês.

Continue lendo

Acordo comercial entre China e EUA está bem, afirma secretário

A “fase 1” de um acordo comercial entre Estados Unidos e China parece estar bem e deve ser assinada em meados de novembro, embora uma data definida ainda seja dúvida, afirmou nesta sexta-feira o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross. O presidente dos EUA, Donald Trump, e outras autoridades do governo esperavam que a cúpula da Apec em 11 a 17 de novembro fosse um possível local para assinar o contrato com o presidente chinês, Xi Jinping.

Continue lendo

China tem dúvidas sobre acordo comercial com os EUA

Autoridades chinesas têm dúvidas sobre se será possível alcançar um acordo comercial abrangente de longo prazo com os EUA e o presidente Donald Trump, informou a Bloomberg nesta quinta-feira, citando fontes anônimas. Autoridades chinesas disseram a visitantes e em outras conversas privadas que a China não vai ceder nas questões mais espinhosas.

Continue lendo

Crescimento econômico dos EUA cresce menos no 3º trimestre

A guerra comercial do governo de Donald Trump com a China afetou a confiança empresarial

O crescimento econômico dos Estados Unidos desacelerou menos do que o esperado no terceiro trimestre, uma vez que a queda do investimento empresarial foi compensada por gastos resilientes do consumidor e recuperação das exportações, o que pode aliviar ainda mais os temores do mercado financeiro de uma recessão.

Continue lendo

Mercados de olho em decisão do Fed sobre juros

Quando as autoridades do Federal Reserve concluírem sua reunião de política monetária ainda nesta quarta-feira, podem ter finalmente obtido sucesso em separar as ações que adotam no gerenciamento da carteira do banco central norte-americano das decisões sobre a taxa de juros. Investidores que aguardam os comentários do Fed nesta quarta-feira estão agora livres para focar no que normalmente é a principal atração da reunião de política monetária: a direção da taxa de juros.

Continue lendo

AL: para FMI os BCs têm chance de confrontar economias fracas

Os países latino-americanos ainda têm a chance de mitigar a fraqueza econômica que muitos deles estão sofrendo com os cortes nas taxas de juros, mas suas opções fiscais são limitadas, afirmou nesta segunda-feira uma autoridade do Fundo Monetário Internacional (FMI). A organização multilateral alertou para o risco de menor crescimento global em meio a guerras comerciais e incerteza sobre as políticas econômicas em alguns países.

Continue lendo

Dólar recua ante real pelo terceiro dia seguido

O dólar operava em queda contra o real nesta quinta-feira, caminhando para a terceira sessão seguida de queda, em meio a um cenário político doméstico favorável devido à aprovação da reforma da Previdência, além das altas expectativas sobre a entrada de fluxos no Brasil. Às 10:43, o dólar recuava 0,51%, a R$ 4,0125 na venda, mantendo as quedas acentuadas registradas nas últimas duas sessões.

Continue lendo

Bitcoin atinge menor nível desde maio

O preço do bitcoin despencava mais de 7% nesta quarta-feira, chegando a atingir US$ 7.412, menor nível da moeda digital desde meados de maio. Não ficou imediatamente claro porque o preço da criptomoeda, que começou a cair por volta das 10h40 (horário de Brasília), recuou tão acentuadamente.

Continue lendo