Berlim – Agnès Varda, da nouvelle vague aos nossos dias

Por Rui Martins, de Berlim – Emocionante reencontro. Primeiro, ela, Agnès Varda, sentada na cadeira de realizadora, conta na tela da Berlinale, como foram seus mais de quarenta anos no cinema, filme por filme. Terminada a projeção desse filme-documentário, ela surge em carne e osso.

Continue lendo