Tailândia cassa partido que indicou princesa a premiê

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 7 de março de 2019 as 13:44, por: CdB

A cassação do partido Thai Raksa Chart a cerca de duas semanas da eleição geral prejudicou as chances das legendas opositoras de derrotar aquelas aliadas à junta militar que governa há quase cinco anos.

Por Redação, com Reuters – de Jacarta

Um tribunal da Tailândia determinou nesta quinta-feira a dissolução de um partido de oposição por indicar a irmã do rei como sua candidata a primeira-ministra em uma eleição de 24 de março, a primeira desde que os militares tomaram o poder com um golpe em 2014.

Líder do partido Thai Raksa Chart, Preechapol Pongpanich, dá entrevista do lado de fora de tribunal em Bangcoc

A cassação do partido Thai Raksa Chart a cerca de duas semanas da eleição geral prejudicou as chances das legendas opositoras de derrotar aquelas aliadas à junta militar que governa há quase cinco anos.

– O tribunal ordenou que o partido seja dissolvido – disse o juiz Taweekiet Meenakanit no veredicto do Tribunal Constitucional, que também afastou membros do comitê executivo do partido da política por 10 anos.

O Thai Raksa Chart é um dos vários partidos leais ao premiê deposto Thaksin Shinawatra em uma votação na qual seus apoiadores confrontam siglas do establishment, incluindo uma que tem o líder da junta, Prayuth Chan-ocha, como candidato a premiê.

Partidos da oposição dizem que a candidatura de Prayuth, somada a leis eleitorais que permitem que a junta indique as 250 cadeiras da câmara alta do Senado, pode resultar em um governo eleito que ampliará a influência militar.

A polícia mobilizou mais de mil agentes dentro e nos arredores da corte e isolou a área ao redor antes do veredicto.

O líder partidário Preechapol Pongpanich, visivelmente emocionado, disse aos repórteres do lado de fora da corte que o partido aceitou a decisão.

– Todos nós tínhamos boas intenções para o país – afirmou.

Apoiadores foram vistos chorando e dizendo que votarão em outras siglas opositoras.

A Comissão Eleitoral pediu à corte que dissolvesse o partido depois de este indicar a princesa Ubolratana Rajakanya Sirivadhana Barnavadi como premiê, o que a entidade descreveu como “antagônico em relação à monarquia constitucional”.

A princesa abdicou de seus títulos reais em 1972, mas ainda é tratada oficialmente como uma integrante destacada da família real, que é muito reverenciada na Tailândia.

O rei Maha Vajiralongkorn se opôs com firmeza à indicação da irmã, que qualificou como “inadequada” e inconstitucional, e sua candidatura logo foi desqualificada pela Comissão Eleitoral.

Embora o Thai Raksa Chart não seja a maior sigla pró-Thaksin, dissolvê-la enfraquecerá a estratégia de seus apoiadores de recorrer a vários partidos na esperança de obter mais assentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *