TCU estabelece prazo final para PGR explicar gastos milionários com a Lava Jato

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 1 de dezembro de 2020 as 15:09, por: CdB

A representação feita por deputados federais do PT, que resultou na decisão do ministro relator do caso no TCU, Bruno Dantas, ressalta uma declaração do procurador-Geral da República, Augusto Aras, feita em julho, ao vivo, pela internet.

Por Redação – de Brasília

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou o prazo de 15 dias para que a Procuradoria Geral da República (PGR) preste informações e esclarecimentos sobre gratificações pagas a integrantes da Operação Lava Jato, nos últimos 10 anos. O objetivo é apurar se estes gastos ficaram acima da média dos que foram feitos a outros procuradores com atuação semelhante.

O procurador-geral Augusto Aras tem sido complacente com o presidente da República, Jair Bolsonaro
O procurador-Geral da República Augusto Aras tem sido mais rígido com a Lava Jato do que foram seus antecessores

A representação feita por deputados federais do PT, que resultou na decisão do ministro relator do caso no TCU, Bruno Dantas, ressalta uma declaração do procurador-Geral da República, Augusto Aras, feita em julho durante uma transmissão ao vivo pela internet. Na ocasião, Aras afirmou que a força-tarefa da Lava Jato abrigava mais pessoas do que o necessário.

— Hoje, nós temos tanta sobra que a força-tarefa de Curitiba consome mais recursos financeiros que 20 unidades da federação — afirmou o PGR.

Decisão

Além disso, o documento também questiona os pagamentos e despesas com diárias e passagens ao longo do ano passado, bem como o pagamento de gratificações por acúmulo de funções, que teriam ultrapassado o valor de R$ 3 milhões.

A PGR disse a jornalistas, por meio de nota, não ter sido ainda notificada sobre a decisão, mas que irá prestar todas as informações solicitadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *