Testemunhas relatam tiroteio durante protestos na Venezuela

Arquivado em: América Latina, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 30 de abril de 2019 as 10:27, por: CdB

Testemunhas relataram tiroteio durante a rodada, organizada por Guaidó, nas proximidades da base venezuelana La Carlota, onde se concentraram manifestantes. Porém, até agora não se sabe quem atirou. 

Por Redação, com Sputnik – de Caracas

O líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, publicou nesta terça-feira no Twitter um vídeo, convocando a Força Armada Nacional para apoiá-lo na luta contra o presidente Nicolás Maduro.

Juan Guaidó, através do Twitter, disse que “o povo venezuelano iniciou o fim da usurpação”

Testemunhas relataram tiroteio durante a rodada, organizada por Guaidó, nas proximidades da base venezuelana La Carlota, onde se concentraram manifestantes. Porém, até agora não se sabe quem atirou.

De acordo com agência inglesa de notícias Reuters, que citou testemunhas, homens vestindo uniforme militar foram vistos acompanhando Guaidó enquanto trocavam tiros com soldados que estariam apoiando Maduro.

Juan Guaidó, através do Twitter, disse que “o povo venezuelano iniciou o fim da usurpação”. Segundo o líder da oposição, ele já conta com apoio da Força Armada nacional, dizendo que militares tomaram a “decisão correta”.

Segundo um vídeo, entregue à agência russa de notícias Sputnik pelos funcionários da embaixada venezuelana em Moscou, a situação ao lado da base La Carlota continua tranquila.

Espanha

O governo espanhol afirmou nesta terça-feira que não endossa qualquer golpe militar na Venezuela e apela a uma solução pacífica para o país.

– A Espanha não endossa nenhum golpe militar – disse a porta-voz do governo, Isabel Celaá, em coletiva de imprensa. Ela também afirmou que a “a solução para a Venezuela tem que vir de um movimento pacífico e eleições” e não de “um golpe militar”.

Celaá então foi questionada por jornalistas se a decisão da Espanha de reconhecer o autoproclamado presidente venezuelano Juan Guaidó foi acertada. A porta-voz defendeu a medida:

– É o presidente que representa o povo, pensamos que está legitimado para levar a cabo a transformação da Venezuela. Nenhuma dúvida – disse Celaá. Ela, todavia, ressaltou que o processo político venezuelano “tem que ser democrático”.

Guaidó publicou um vídeo nas redes sociais nesta terça ao lado de Leopoldo López, líder opositor que estava preso pelas forças do presidente Nicolás Maduro.

Na publicação, Guaidó pede apoio da população para “restaurar a liberdade” e é acompanhado por um grupo de cerca de 30 militares.

As imagens foram gravadas na base militar Francisco Miranda, também conhecida como La Carlota, situada no leste de Caracas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *