Trabalhistas vencem eleição local na Inglaterra

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 7 de junho de 2019 as 11:14, por: CdB

A vitória pode diminuir por ora a pressão para que o líder trabalhista, Jeremy Corbyn, dê seu apoio inequívoco a um segundo referendo sobre a separação britânica da União Europeia.

Por Redação, com Reuters – de Londres

O Partido Trabalhista do Reino Unido, de oposição, manteve uma cadeira parlamentar em eleição local no leste da Inglaterra nesta sexta-feira, superando o Partido do Brexit, de Nigel Farage, por menos de 700 votos.

Apuração dos votos de eleição local em Peterborough, na Inglaterra

A vitória pode diminuir por ora a pressão para que o líder trabalhista, Jeremy Corbyn, dê seu apoio inequívoco a um segundo referendo sobre a separação britânica da União Europeia, que muitos de seu partido vêm dizendo ser a única maneira de romper o impasse do Brexit.

Mas para o governista Partido Conservador o grande desafio representado pelo Partido do Brexit, criado em abril, estimulará aqueles que disputam o cargo da primeira-ministra Theresa May a se aterem a um discurso duro sobre a desfiliação da UE.

A eleição local em Peterborough é um indício a mais de que a votação britânica de 2016 sobre o rompimento com o bloco está reformulando a política do país, o que desafia o predomínio dos dois maiores partidos por abalar a lealdade dos dois lados no tocante ao Brexit, a maior mudança na política externa desde a Segunda Guerra Mundial.

Vitória

Os trabalhistas comemoraram a vitória apertada de Lisa Forbes, que obteve 10.484 votos e deixou o Partido do Brexit, o favorito das casas de aposta, em segundo lugar com 9.801 votos. Os conservadores de May apareceram em terceiro com 7.243 votes.

– Este resultado mostra que, a despeito das divisões e do impasse do Brexit, quando se trata de uma votação sobre questões que afetam diretamente a vida das pessoas, o apelo dos trabalhistas por uma mudança real tem grande apoio em todo o país – disse Corbyn.

– Nesta cadeira essencial, os conservadores foram empurrados para as margens.

A eleição se tornou necessária quando a trabalhista Fiona Onasanya se tornou a primeira integrante do Parlamento a ser destituída em um recall político depois de ser presa por mentir sobre uma multa por excesso de velocidade. Ela havia tomado a vaga dos conservadores na eleição geral de 2017 com uma maioria de meros 607 votos.

Sucesso

O sucesso dos trabalhistas se deveu em grande parte a uma campanha ampla para estimular a votação, algo com que Farage disse que seu partido não consegue rivalizar por só existir há dois meses.

Ele acabou direcionando sua ira aos conservadores e alertou que, se os eleitores não apoiarem sua sigla em futuras eleições, estarão preparando o terreno para um governo Corbyn.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *