Trump contradiz especialista e afirma que logo haverá vacina

Arquivado em: América do Norte, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 17 de setembro de 2020 as 10:44, por: CdB

Presidente diz que vacina contra covid-19 estará disponível daqui a algumas semanas, apenas horas depois de diretor de agência de saúde afirmar que ampla vacinação provavelmente ocorreria apenas em 2021.

Por Redação, com DW – de Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contradisse na quarta-feira os especialistas do seu próprio governo e anunciou que haverá uma vacina para a covid-19 daqui a algumas semanas e que elas estarão imediatamente à disposição. Segundo Trump, ao menos 100 milhões de doses estariam disponíveis até o fim do ano.

Trump disse que o especialista se enganou:
Trump disse que o especialista se enganou: “Acho que ele cometeu um erro”

O presidente contradisse, assim, o que o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, Robert Redfield, havia dito horas antes numa audiência no Senado. Redfield afirmara que a vacina estaria disponível entre novembro e dezembro, mas apenas de forma limitada e para os grupos de maior risco. A população norte-americana só deverá ter acesso à vacina “provavelmente no fim do segundo trimestre ou no terceiro trimestre de 2021”, disse o especialista.

Até lá, o melhor que a população pode fazer é se cuidar lavando as mãos, mantendo distância e usando máscaras faciais, afirmou Redfield.

Trump disse que Redfield se enganou. “Acho que ele cometeu um erro quando disse isso, é apenas uma informação errada. Acho que ele não quis dizer isso. Acho que ele estava confuso quando isse isso”, declarou o presidente. “Estamos muito perto de uma vacina. Acho que poderemos começar em algum momento de outubro” ou logo depois, disse Trump.

Ele também desdenhou das máscaras faciais e disse que a vacina é mais importante.

Para ser distribuída à população, qualquer vacina tem de ser aprovada pela Food and Drug Administration (FDA), o órgão responsável por aprovar o uso de novos medicamentos, vacinas e outros produtos relacionados à saúde pública.

As empresas farmacêuticas Pfizer, Moderna e AstraZeneca estão realizando estudos de vacinas que já chegaram ao nível três, ou seja, estão sendo testadas em seres humanos, mas ainda não enviaram um produto final à FDA para aprovação.

A eleição

O presidente reiteradamente tem dito que uma vacina estará disponível nas próximas semanas, um período que a maioria dos especialistas considera inalcançável. A eleição presidencial norte-americana está marcada para 3 de novembro. O candidato democrata, Joe Biden, acusou Trump de estar pressionando por uma vacina por motivos eleitorais.

Nove empresas farmacêuticas já apelaram ao presidente para que fique ao lado da ciência e não pressione para tornar disponível um produto ainda não totalmente testado.

Os Estados Unidos são o país mais afetado pela pandemia, com 6,6 milhões de casos detectados e mais de 196 mil mortes, segundo levantamento independente da Universidade Johns Hopkins.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *