Trump afirma que Irã está por trás de ataques contra embaixada dos EUA em Bagdá

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 31 de dezembro de 2019 as 10:24, por: CdB

Manifestantes em Bagdá incendiaram a cerca da Embaixada dos EUA em um ato de condenação dos ataques aéreos contra milícias xiitas.

Por Redação, com Sputnik – de Washington

O presidente dos EUA, Donald Trump, acusou o Irã de ter organizado o ataque contra a Embaixada dos EUA em Bagdá, no Iraque.

O presidente dos EUA, Donald Trump
O presidente dos EUA, Donald Trump

O presidente expressou essa posição na sua página no Twitter.

– Irã matou um empreiteiro estadunidense, ferindo muitos. Nós respondemos com firmeza, e sempre o faremos. Agora o Irã está orquestrando um ataque contra a Embaixada dos EUA no Iraque. Eles serão totalmente responsáveis. Além disso, nós esperamos que o Iraque use suas forças para proteger a Embaixada e disso o notificamos!

Manifestantes em Bagdá incendiaram a cerca da Embaixada dos EUA em um ato de condenação dos ataques aéreos contra milícias xiitas. A parede da Embaixada dos EUA está tomada pelo fogo, ao lado estão jovens gritando slogans antiamericanos e atirando pedras em direção ao edifício diplomático.

Mike Pompeo

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, realizou várias chamadas telefônicas aos líderes de Israel, Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita, durante as quais explicou os recentes ataques de forças americanas contra instalações do movimento Hezbollah no Iraque e na Síria.

De acordo com informações providenciadas pelo Departamento de Estado, durante a conversa com o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, Pompeo “reafirmou que os Estados Unidos irão tomar ações firmes na proteção dos seus cidadãos e seus interesses de ameaças iranianas”.

Por sua vez, o príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohamed bin Zayed al Nahyan, apoiou os ataques dos EUA.

“O secretário de Estado Pompeo e o príncipe herdeiro Al Nahyan expressaram sua preocupação relativamente aos ataques do Kata’ib Hezbollah contra as forças da coalizão no Iraque. O secretário de Estado e o príncipe herdeiro concordaram que as ações dos EUA, tomadas em retaliação para proteger os interesses da coalizão, foram defensivas, proporcionais e justificadas”, lê-se na nota do Departamento de Estado.

Além disso, o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, concordou com a opinião de Pompeo que “o regime iraniano e seus representantes continuam sendo a força desestabilizadora na região e que as nações têm o direito de se defenderem perante estas ameaças”.

“O secretário de Estado ressaltou que os ataques por parte do regime iraniano ou seus representantes de qualquer nacionalidade, que causam danos aos americanos, nossos aliados ou nossos interesses, terão uma resposta firme, como foi demonstrado ontem (no domingo, 29)”, lê-se no comunicado.

O número de mortos após os ataques com drones dos Estados Unidos no Iraque foi de 25 pessoas, com alegadamente 51 militantes feridos, informaram em um comunicado as Forças de Mobilização Popular do Iraque, também conhecidas como Hashd al-Shaabi.

Os ataques aéreos foram uma resposta ao ataque de míssil contra uma base no norte do Iraque na última sexta-feira que, segundo os EUA, provavelmente teria sido realizado por um grupo de milícias aliado do Irã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *