TSE tende a barrar candidatura de Lula, apesar de intensos protestos

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 15 de agosto de 2018 as 15:04, por: CdB

Em meio a uma sistemática perseguição, no campo jurídico, o ex-presidente Lula tem sido alvo de fatos inconsistentes no rito processual a que responde, na Justiça Federal do Paraná, comarca do juiz Sérgio Moro.

 

Por Redação – de Brasília

 

Nesta quarta-feira, o PT, o PCdoB e PROS, que juntos formam a coligação O Povo Feliz de Novo, registraram no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva ao seu terceiro mandato presidencial. O vice registrado, na chapa, foi o ex-prefeito Fernando Haddad. Essa composição, no entanto, tende a ser barrada no Tribunal, segundo apurou a reportagem do Correio do Brasil, nesta quarta-feira.

Gleisi Hoffmann, presidente do PT, declara guerra à Rede Globo
Gleisi Hoffmann, presidente do PT, realizou o registro da candidatura de Lula, no TSE

Em meio a uma sistemática perseguição, no campo jurídico, o ex-presidente Lula tem sido alvo de fatos inconsistentes no rito processual a que responde, na Justiça Federal do Paraná, comarca do juiz Sérgio Moro. Os efeitos da condenação em segunda instância, no Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-IV), embasada na sentença de Moro, tem servido de base para que ministros do TSE opinem, reservadamente, contra a inserção do nome de Lula na urna eletrônica.

Recém-empossada na Presidência do TSE, a ministra Rosa Weber afirmou, nesta manhã, que os ritos e prazos, no caso de Lula, devem ser preservados. Caso se concretize a previsão da magistrada, o processo somente será julgado no mês que vem. Ao longo deste período, Lula permaneceria como candidato, mas sem acesso aos meios de comunicação.

Manifestação

A perseguição judicial que vem sendo imposta ao ex-presidente, com objetivo de tirá-lo da disputa, no entanto, tem levado a uma forte reação de seus apoiadores. Organizadores da manifestação, em curso, têm observado que é a primeira vez na história do país que uma manifestação popular acompanha o registro de uma candidatura no tribunal.

São movimentos sociais e caravas de trabalhadores urbanos de todo o Brasil, que se juntam com os cerca de 5 mil militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que chegaram nesta terça-feira, após caminharem 50 quilômetros partindo de três cidades do Planalto Central.

Concentrados nos arredores do Estádio Mané Garrincha, Ginásio Nilson Nelson,  e Centro de Convenções Ulysses Guimarães, os integrantes da manifestação partiram em marcha nesta tarde, descendo pelo Eixo Monumental até o Palácio do Itamaraty, e dali até o TSE.

Nos arredores do Tribunal, ocorre o ato político em defesa da candidatura do ex-presidente Lula. Dali, uma comitiva de representantes cumpriu a formalidade de encaminhar o registro à candidatura.

Lula livre

Segundo a senadora e presidenta do partido, Gleisi Hoffmann, este registro marca a primeira vitória no enfrentamento ao golpe pós-prisão de Lula.

— Os golpistas não acreditavam que registraríamos Lula, mas, aqui, estamos nós. Ele é nosso candidato, mostrando que não abandonaremos o Brasil. Depois, haverão outras vitórias até a chegada dele no Palácio do Planalto — disse ela, a jornalistas.

Na capital paulista, a Frente Brasil Popular também realiza um ato em frente ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), na Bela Vista, a partir das 17h, em apoio ao registro da candidatura Lula da Silva.

Em Porto Alegre está programada uma edição local do Festival Lula Livre que, a exemplo do evento realizado no Rio de Janeiro, reunirá dezenas de artistas no Memorial Prestes, com concentração a partir das 17h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *