Tudo pode se desmanchar conforme as circunstâncias

Arquivado em: Opinião, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 6 de julho de 2018 as 11:51, por: CdB

Numa breve conversa na garagem da Prefeitura, a propósito da enfermidade de um amigo comum, sentencia

Por Luciano Siqueira – de São Paulo:

A medicina é a ciência das verdades transitórias.

É uma exceção, pois se é ciência tem que se apoiar em verdades definitivas, como as demais ciências, retruca o outro.

Visão esquemática das coisas, raciocínio mecanicista. Reducionismo que leva a esbarrar com a cabeça no paredão

Verdades pétreas, imutáveis, como a Lei da Gravidade, completa um terceiro.

Errado. Na verdade, nada é definitivo, tudo é mutável assim como o repouso é relativo e o movimento é que é absoluto, conforme o modelo dialético de compreensão do mundo.

Mas às vezes há um apego quase místico a coisas supostamente definitivas, como se fora verdade absoluta ancorada em dogmas, que nos eximisse da análise concreta da realidade como de fato ela é.

Visão esquemática das coisas, raciocínio mecanicista. Reducionismo que leva a esbarrar com a cabeça no paredão.

Conjuntura de crise

Numa conjuntura de crise e de extrema instabilidade, quando muitas variáveis concorrem para a imprevisibilidade no curto prazo, ou se admite que o que parecia tão sólido quanto perene em longo prazo pode se esvair sob o impacto de novos fenômenos, ou nos agarramos ao que está estabelecido, mesmo sob corrosão, como a única tabua de verdade absoluta e afundamos junto.

Neste instante de pré-convenções partidárias eleitorais, que celebrarão candidaturas e alianças, todo cuidado é pouco na defesa do que se construiu com muito suor, sangue e sacrifício; porém igual atenção à busca de saídas, digamos, heterodoxas, face uma situação adversa que se interpõe aos nossos desejos.

Lula é inequivocamente patrimônio do povo brasileiro. Um ícone. Líder de extração operária, um dos mais marcantes presidentes que o País já teve.

Mas Lula não está só no mundo. Nem pode tudo. Mercê de perseguição politico-policial-judiciária-midiática, vê-se constrangido à prisão e a um possível impedimento de concorrer no próximo pleito.

O seu partido, o PT, embora o que tenha mais se fortalecido no campo popular e à esquerda nas décadas recentes, também cometeu erros sérios, estratégicos e táticos, sobretudo — e ostenta um misto de prestígio e de desgaste perante a sociedade brasileira.

Luciano Siqueira, é médico, vice-prefeito do Recife, membro do Comitê Central do PCdoB.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *