Turquia ameaça continuar operação na Síria em caso de ataques

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 24 de outubro de 2019 as 13:23, por: CdB

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou nesta quinta-feira que Ancara retomará sua operação na Síria se os ataques continuarem.

Por Redação, com Sputnik – de Ancara

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou nesta quinta-feira que Ancara retomará sua operação na Síria se os ataques terroristas continuarem.

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan
Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan

– Nossa operação foi bem-sucedida. Mas se os terroristas reaparecerem na zona que negociamos, temos o direito de eliminá-los. E se eles continuarem atacando, continuaremos nossa operação – disse Erdogan.

Segundo ele, a Turquia sempre considerou a opção militar como medida extrema.

– Mas o processo nos trouxe aqui. Informamos a todos sobre o início da operação. Mas não somos obrigados a pedir permissão a ninguém. Finalmente, nossos parceiros nos ouviram. Primeiro, concordamos com os Estados Unidos sobre a retirada de terroristas em 120 horas. Após o prazo, os Estados Unidos nos notificaram por escrito que o acordo foi cumprido da parte deles. Na terça-feira, chegamos a um acordo com a Rússia – disse o líder turco.

Segundo ele, sete soldados turcos foram mortos durante a operação das Forças Armadas da Turquia na Síria, enquanto o Exército Nacional Sírio da oposição teve 96 baixas.

– Assumimos o controle de 4.220 quilômetros quadrados. Agora controlamos 120 quilômetros dos 444 quilômetros de extensão da zona, o resto [controlaremos] junto com a Rússia – acrescentou Erdogan.

A Turquia anunciou em 9 de outubro o lançamento da operação Fonte de Paz no nordeste da Síria. De acordo com Erdogan, o objetivo de Ancara foi criar uma zona tampão para servir como um cinturão de proteção para a fronteira turca.

Acordo entre Rússia e Turquia

Na última terça-feira os presidentes da Rússia e da Turquia assinaram um memorando para regular a situação no nordeste da Síria. O documento prevê que as milícias curdas devem se afastar a uma distância mínima de 30 km da fronteira com a Turquia.

Após a retirada, forças russas e turcas iniciariam patrulhas conjuntas na região de fronteira, com um recuo máximo de 10 km para dentro do território sírio. As patrulhas serão feitas nas regiões a leste e a oeste da região na qual a Turquia mantém a operação Fonte de Paz, à exceção da cidade de al-Qamishli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *