Twitter diz que dados de usuários destinados a segurança podem ter sido usados para anúncios

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 9 de outubro de 2019 as 12:15, por: CdB

As empresas de mídia social, incluindo o Twitter e o Facebook, enfrentaram a irritação de usuários e reguladores globalmente sobre como suas plataformas lidam com dados pessoais.

Por Redação, com Reuters – de São Francisco/Bruxelas

O Twitter disse na terça-feira que endereços de e-mail e números de telefone enviados por usuários para atender aos seus requisitos de segurança podem ter sido ‘inadvertidamente’ usados para fins publicitários.

As empresas de mídia social, incluindo o Twitter e o Facebook, enfrentaram a irritação de usuários
As empresas de mídia social, incluindo o Twitter e o Facebook, enfrentaram a irritação de usuários

A plataforma disse que o problema foi corrigido em 17 de setembro, sem revelar quantos usuários foram afetados.

“Foi um erro e pedimos desculpas”, disse a empresa em um post em seu blog.

As empresas de mídia social, incluindo o Twitter e o Facebook, enfrentaram a irritação de usuários e reguladores globalmente sobre como suas plataformas lidam com dados pessoais.

A empresa disse que as informações não foram compartilhadas com terceiros, mas foram disponibilizadas internamente para permitir que os usuários recebessem anúncios direcionados.

Moedas digitais

O comissário de finanças da União Europeia prometeu na terça-feira propor novas regras para regular moedas virtuais, em uma reação à libra do Facebook, que a UE considera um risco para a estabilidade financeira.

A França e a Alemanha disseram que a libra, cujo tamanho superaria criptomoedas como o bitcoin, poderia limitar sua soberania monetária.

– A Europa precisa de uma abordagem comum nos ativos de criptografia como a libra – disse Valdis Dombrovskis aos parlamentares da UE em uma audiência de confirmação. “Pretendo propor nova legislação sobre isso.”

A UE não possui regulamentos específicos sobre criptomoedas, que, até o anúncio da libra em junho, eram considerados uma questão marginal pela maioria dos parlamentares, porque apenas uma fração de bitcoins ou outras moedas digitais são convertidas em euros.

Dombrovskis resistiu à regulamentação das moedas digitais nos cinco anos em que atuou até agora. Ele deixou claro que sua mudança de atitude decorreu dos planos do Facebook para a libra, uma moeda digital que “poderia ter efeitos sistêmicos na estabilidade financeira”, disse ele aos parlamentares.

A UE agora também está pressionando o G20 por uma ação global sobre “stablecoins”, disse um documento da UE divulgado na semana passada.

A libra é a mais conhecida das stablecoins,  criptomoedas apoiadas por ativos como depósitos em dinheiro, títulos do governo de curto prazo ou ouro.

Um funcionário da Comissão da UE disse que ainda não havia um cronograma para propor as novas regras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *