Uber enfrenta escolhas caras após especialista descobrir que empresa usa tecnologia da Waymo

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 7 de novembro de 2019 as 13:25, por: CdB

A Uber disse que provavelmente terá que fechar um acordo de licenciamento com a Waymo ou optar por fazer caras mudanças em seu software.

Por Redação, com Reuters – de São Francisco/Bangalore

A Uber disse que provavelmente terá que fechar um acordo de licenciamento com a Waymo ou optar por fazer caras mudanças em seu software de direção autônoma, depois que um especialista descobriu que a empresa ainda usa a tecnologia do Google, da Alphabet.

A Uber disse que provavelmente terá que fechar um acordo de licenciamento com a Waymo
A Uber disse que provavelmente terá que fechar um acordo de licenciamento com a Waymo

Embora não estivesse claro quando a empresa precisará decidir sobre o próximo passo na disputa de segredos comerciais, a Uber, disse em um documento na terça-feira que um desvio no desenvolvimento de software “poderia limitar ou atrasar a produção de tecnologias de veículos autônomos”.

A Uber está correndo para acompanhar a Waymo no desenvolvimento de softwares e hardwares para instalar em carros e caminhões para permitir serviços de táxi e entregas sem motorista.

O exame especializado do software da Uber fez parte de um acordo legal alcançado em fevereiro de 2018 que interrompeu abruptamente um julgamento sobre se a empresa se beneficiou injustamente de ideias confidenciais supostamente protegidas por contratar ex-engenheiros da Waymo como os principais membros de sua equipe de veículos autônomos.

A Uber se recusou a fornecer mais detalhes.

A Waymo disse à agência inglesa de notícias Reuters em um comunicado que as descobertas do especialista independente “confirmam ainda mais as alegações da Waymo de que a Uber se apropriou de propriedade intelectual de software. Continuaremos a tomar as medidas necessárias para garantir que nossas informações confidenciais não sejam usadas pela Uber”.

A Waymo

No ano passado, o presidente-executivo da Uber, Dara Khosrowshahi, expressou confiança de que a empresa não havia usado as informações de propriedade da Waymo em seu hardware ou software.

Porém, em abril deste ano, semanas antes de sua oferta pública inicial, a Uber divulgou que as descobertas intermediárias do revisor especialista em softwares eram variadas e poderiam ser caras.

Chips de inteligência artificial

A Nvidia afirmou na quarta-feira seus chips dedicados para aplicações de inteligência artificial superaram marcadores de testes de referência da indústria de semicondutores.

Os resultados representam um impulso aos esforços da Nvidia no crescente campo conhecido como “inferência”, processo de usar um algoritmo de inteligência artificial em tarefas como tradução de um áudio em requisições baseadas em texto.

Os processadores da Intel atualmente dominam o mercado para aprendizado de máquina por inferência, que a Morningstar estima que vai valer US$ 11,8 bilhões até 2021.

Entretanto, a Nvidia domina o mercado de chips para treinamento de inteligência artificial, em que enormes quantidades de dados ajudam algoritmos a “aprenderem” uma tarefa como reconhecimento de uma voz humana.

A Nvidia afirma que seus chips de inferência alcançaram agora os resultados mais rápidos de um pacote de cinco indicadores independentes de referência, conhecido como MLPerf Inference 0.5.

A companhia também revelou nesta quarta-feira o chip Jetson Xavier NX, projetado para aplicações de inteligência artificial. O processador tem o tamanho de um cartão de crédito.

O chip pode ser usado em aparelhos que incluem robôs comerciais, drones e dispositivos médicos portáteis, que precisam de poder de processamento sem sacrificar tamanho ou peso, disse a Nvidia. O processador tem preço de US$ 399 e estará disponível a partir de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *