Vigilância Sanitária se reúne com Liesa para alinhar estratégias de redução de riscos à saúde no carnaval

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 23 de janeiro de 2020 as 13:32, por: CdB

O principal tema da reunião foi o alinhamento de ações para a melhoria dos processos de produção de serviços prestados no Sambódromo, como a fabricação de alimentos.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

Entre as diversas frentes de prevenção de saúde pública voltadas para o Carnaval 2020, a subsecretária de Vigilância Sanitária do Rio, Márcia Rolim, recebeu na quarta-feira, o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Jorge Castanheira, acompanhado do diretor Gustavo Mostof. O principal tema da reunião foi o alinhamento de ações para a melhoria dos processos de produção de serviços prestados no Sambódromo, como a fabricação de alimentos.

O principal tema da reunião foi o alinhamento de ações para a melhoria dos processos de produção de serviços prestados no Sambódromo
O principal tema da reunião foi o alinhamento de ações para a melhoria dos processos de produção de serviços prestados no Sambódromo

No encontro ficou acertado que, nos próximos dias, a Liesa vai enviar a lista de fornecedores para que a Vigilância tenha a dimensão do evento e possa melhor definir o seu planejamento estratégico.

Operação Carnaval

Como exemplo, os endereços da relação serão incluídos no roteiro de inspeções prévias da Operação Carnaval, que vai percorrer os principais pontos de folia da cidade. A ação foi iniciada nesta terça, 21, em comércios do Centro da cidade, resultando no primeiro dia em 18 infrações, cinco quilos de produtos impróprios ao consumo descartados e na emissão de 25 temos de intimação com exigências e prazos a serem cumpridos.

Ainda pela Vigilância, participaram a coordenadora de Alimentos, Aline Borges, e o superintendente de Educação, Flávio Graça, que reforçou com números a importância das ações de orientação para a redução dos riscos à saúde.

A começar pela capacitação de profissionais, não só os da manipulação de alimentos como os de saúde e de embelezamento, como maquiadores, tatuadores e massagistas. Para se ter uma ideia, com a ampliação das prévias, a Vigilância aumentou as capacitações em 25% (de 719 em 2018 para 891 no ano passado) e as inspeções em 210% (de 277 em 2018 para 848 em 2019).

Essas ações resultaram em reduções expressivas no Carnaval, como 176% no descarte de alimentos (de 138 quilos em 2018 para 50 em 2019) e 23% nas infrações (de 73 para 59). Mas nosso maior ganho foi na redução dos riscos de alimentos consumidos. Em 2018, das 84 amostras coletadas para análise, 28 (35%) deram resultados insatisfatórios. Em 2019, das 61 amostras coletadas, apenas três (5%) foram insatisfatórias, uma diminuição de 30% em relação a 2018 – destacou o superintendente Flávio Graça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *