Witzel diz acreditar que crise da água foi ‘sabotagem’

Arquivado em: Destaque do Dia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 20 de janeiro de 2020 as 14:32, por: CdB

O governador do Rio de Janeiro, Wilzon Witzel, disse nesta segunda-feira que acredita que os problemas no fornecimento de água no Rio de Janeiro foram causados por sabotagem.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O governador do Rio de Janeiro, Wilzon Witzel, disse nesta segunda-feira que acredita que os problemas no fornecimento de água no Rio de Janeiro foram causados por sabotagem na Companhia Estadual de Águas e Esgotos.

O governador do Rio de Janeiro, Wilzon Witzel
O governador do Rio de Janeiro, Wilzon Witzel

Witzel esteve na inauguração do programa Segurança Presente, em Copacabana, e disse que a suspeita está sendo apurada pela Polícia Civil, que chegou a ouvir funcionários da companhia e foi à Estação de Tratamento de Água do Guandu, na semana passada.

– Eu, particularmente, não acredito [em incompetência]. Eu acredito e está sendo apurada uma sabotagem, por conta do leilão. Há muitos interesses envolvidos nesse leilão. Pedi à policia que apurasse – disse o governador.

Cedae

O leilão a que ele se refere é a privatização da Cedae, que o governo do Estado pretende realizar ainda neste ano, concedendo grande parte dos serviços da companhia, que atende 64 dos 92 municípios do estado, incluindo a capital.

Desde a primeira semana do ano, cariocas têm reclamado de alterações de gosto, cheiro e cor na água que chega às residências. Segundo a Cedae, uma substância produzida por algas chamada geosmina deixou a água com gosto e cheiro de terra, mas sem prejuízos à saúde.

Cedae recebe máquinas

A Estação de Tratamento de Água (ETA) Guandu, da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), no Rio de Janeiro, recebeu no domingo a última parte do sistema que será usado para aplicação do carvão ativado na água.

A meta é combater a presença de geosmina, substância produzida por algas, que deixou a água que abastece a região metropolitana do Rio com gosto e cheiro de barro, gerando reclamações de consumidores, o que causou aumento significativo da procura da água mineral no comércio.

Segundo informou a Cedae, o maquinário foi feito sob encomenda. O carregamento de carvão também foi entregue no domingo. O sistema já está sendo montado, prevendo-se o início da utilização do carvão durante esta semana, segundo a Cedae.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *