Xi Jinping diz que China vai solucionar problemas expostos durante surto de coronavírus

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020 as 13:38, por: CdB

O presidente da China, Xi Jinping, disse nesta sexta-feira que o governista Partido Comunista precisa consertar diversos problemas, brechas e fraquezas expostas durante o atual surto.

Por Redação, com Reuters – de Pequim/Cingapura

O presidente da China, Xi Jinping, disse nesta sexta-feira que o governista Partido Comunista precisa consertar diversos problemas, brechas e fraquezas expostas durante o atual surto de coronavírus, informou a TV estatal.

Presidente da China, Xi Jinping, discursa após chegada a Macau, China
Presidente da China, Xi Jinping, discursa após chegada a Macau, China

“Garantir a segurança e a saúde da população é a principal tarefa do governo do nosso partido”, segundo a reportagem, citando uma fala de Xi em um encontro de um comitê sobre reformas mais profundas.

Ele também afirmou que Pequim agiria para melhorar as garantias médicas e os sistemas de tratamento para doenças mais graves.

Companhias aéreas

A Organização Internacional da Aviação Civil das Nações Unidas (Icao) prevê que as renda global das empresas aéreas pode diminuir em entre US$ 4 e US$ 5 bilhões no primeiro trimestre devido aos cancelamentos de voos resultantes do surto de coronavírus, disse a entidade em um comunicado.

Na quarta-feira, a agência sediada em Montreal disse que se acredita que o vírus terá um impacto maior na indústria do que aquele causado pela epidemia de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) em 2003, tendo em conta o volume e o alcance global maiores dos cancelamentos em curso.

A Icao disse que cerca de 70 empresas aéreas cancelaram todos seus voos internacionais de e para a China continental e que outras 50 limitaram as operações.

Isto resultou em uma redução de 80% da capacidade de atendimento das empresas aéreas para viajantes diretamente de e para a China, e uma redução de 40% da capacidade das empresas aéreas chinesas, disse a agência.

A estimativa preliminar não inclui impactos em potencial em aeronaves de carga, aeroportos, provedores de serviços de navegação aérea para o tráfego aéreo doméstico chinês ou para o tráfego internacional no tocante a Hong Kong, Macau e Taiwan, segundo a Icao.

A agência também prevê que o Japão pode perder US$ 1,29 bilhão de renda do turismo no primeiro trimestre devido à redução de viajantes chineses e que a Tailândia pode perder US$ 1,15 bilhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *