A esposa de Vinicius de Moraes

Arquivado em: Arquivo CDB, Boletim, Destaque do Dia, Direto da Redação, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 6 de agosto de 2018 as 15:00, por: Rui Martins
Atualizado em 08/08/18 16:21

Numa festa de aniversário de amigas nascidas sob o signo de Câncer, fala-se de tudo, inclusive do tratamento preventivo do Alzheimer, onde pode haver confusão.

Por Maria Lúcia Dahl, do Rio de Janeiro:

O médico pensou que fosse Alzheimer

Hoje fui comemorar vários aniversários, inclusive o meu e o da minha irmã, junto com muitos amigos, todos do signo de Câncer, nascidos em dias diferentes , mas que costumam sempre se reunir para festejar juntos.

Esse grupo, que é basicamente o mesmo desde a sua juventude , acrescenta novas mulheres e maridos com o passar do tempo que fez muita gente se separar , se juntar com outras pessoas que passam agora a fazer parte dele ou mesmo perda de amigos queridos que se foram , assim à francesa , sem que ninguém esperasse que nos deixariam sujeitos a uma tristeza inimaginável.

Além da nossa família , ( minha e da minha irmã), o grupo foi acrescentando a ele , também novos amigos chegados ao signo por algum motivo que, graças a Deus , preenchem de uma certa forma, os que já se foram..

O grupo tem gente de variadas profissões que se junta a ele por afinidade ou inesperadas coincidências.

Na festa de hoje comentou-se vários encontros, desde a nossa infância nos mesmos colégios, nos mesmos clubes, nas mesmas praias ou pelas coincidências estranhas , como uma moça que foi trabalhar pra minha irmã , e que também além de ser do signo de Câncer , também se chamava Maria Lúcia , como eu , sendo que o meu apelido era Mary e o dela Mara.

Hoje na festa , Mara me contou histórias engraçadas que eu tinha esquecido , como o prédio do colégio onde ela estudou e que fica bem em frente à casa onde estávamos comendo bolo de chocolate e comemorando os inúmeros aniversários com vinho, champanhe , CocaCola e cerveja.

Como eu tinha esquecido a historia do colégio , não me lembrando nem do prédio que se via pela janela da casa que , por acaso se encontrava em frente a ele. Mara me lembrou do dia em que eu levei-a para falar com a diretora onde insisti para que Mara estudasse lá, já que ela era uma menina inteligente e interessada em diferentes estudos.

Acabei implorando à diretora dizendo que me responsabilizaria pela menina que queria estudar.

A diretora acabou aceitando-a depois de muita insistência minha e o resultado desse pedido foi a formatura de Mara nesse colégio, e mais tarde , sua entrada na Globo para trabalhar como assistente de figurinista da minha irmã . onde as duas estão até hoje.

Outra coisa surpreendente nesses encontros também , são os filhos e netos da turma dos descendentes do signo de Câncer . que encontramos e conhecemos à cada ano, nas festas , surpreendendo-nos com suas idades , tamanhos e inteligência tecnológica, tão diferente da nossa infância.

Existem ainda também as antigas paqueras que nos fazem lembrar dos nossos olhares disfarçados , que escondíamos cheios de vergonha uns dos outros e a idade diferente que chegamos hoje em dia , muitos se preocupando om o próprio físico , com mulheres tentando mudá-los com o dr. Bum Bum e outros mais inteligentes , desesperados com a politica e o país , deixando-nos completamente sem assunto nesse sentido , ninguém sabendo em quem votará e todos falando de viagens e mudanças de vida, enquanto outros se preocupam com as doenças da idade , como uma amiga que nos contou sobe uma espécie de análise que começou a fazer , visando evitar o Alzheimer , dizendo que o médico fazia perguntas tipo :

– Qual a Capital de Sergipe?

O que ela respondeu : Aracaju.

E ele a parabenizou pela resposta, continuando a indagá-la.

– Quem foi Vinicius de Moraes ?

Ao que ela respondeu verdadeiramente :

-Meu marido.

O que o médico não acreditou e ameaçou-a com fortes remédios, fazendo-a desistir do tratamento.

Maria Lúcia Dahl , atriz, escritora e roteirista. Participou de mais de 50 filmes entre os quais – Macunaima, Menino de Engenho, Gente Fina é outra Coisa – 29 peças teatrais destacando-se- Se Correr o Bicho pega se ficar o bicho come – Trair e coçar é só começar- O Avarento. Na televisão trabalhou na Rede Globo em cerca de 29 novelas entre as quais – Dancing Days – Anos Dourados – Gabriela e recentemente em – Aquele Beijo. Como cronista escreveu durante 26 anos no Jornal do Brasil e algum tempo no Estado de São Paulo. Escreveu 5 livros sendo 2 de crônicas – O Quebra Cabeça e a Bailarina Agradece-, um romance, Alem da arrebentação, a biografia de Antonio Bivar e a sua autobiografia,- Quem não ouve o seu papai um dia balança e cai. Como redatora escreveu para o Chico Anisio Show.Como roteirista fez recentemente o filme – Vendo ou Alugo – vencedor de mais de 20 premios em festivais no Brasil.

Direto da Redação, editado pelo jornalista Rui Martins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *