Ações da China registram melhor semana desde junho

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 6 de setembro de 2019 as 08:25, por: CdB

A China e os Estados Unidos concordaram na quinta-feira em manter negociações de alto nível no início de outubro em Washington, animando os investidores.

Por Redação, com Reuters – de Pequim

Os índices acionários da China fecharam em alta nesta sexta-feira, registrando as maiores altas semanais desde o final de junho, depois que Pequim prometeu impulsionar ainda mais a economia —expectativa que se confirmou mais tarde—, ao mesmo tempo que as tensões comerciais com os Estados Unidos se reduziram.

Investidores que esperam uma resolução da guerra comercial, já que as novas tarifas dos EUA sobre bens de consumo chineses não param de prejudicar o crescimento global.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen,avançou 0,6%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,5%. Na semana, o CSI300 e o SSEC subiram ambos 3,9%, marcando a melhor semana desde o final de junho.

A China e os Estados Unidos concordaram na quinta-feira em manter negociações de alto nível no início de outubro em Washington, animando os investidores que esperam uma resolução da guerra comercial, já que as novas tarifas dos EUA sobre bens de consumo chineses não param de prejudicar o crescimento global.

Essas seriam as primeiras discussões presenciais de alto nível desde que uma fracassada reunião sobre comércio entre os dois países no final de julho levou o presidente dos EUA, Donald Trump, a prosseguir com novas tarifas sobre praticamente todas as importações chinesas remanescentes e até então intocadas pela guerra comercial.

Os ganhos robustos nas ações chinesas também foram reforçados pela promessa de Pequim de apoiar ainda mais a economia.

O banco central da China anunciou nesta sexta-feira, pela terceira vez neste ano, redução da quantidade de dinheiro que os bancos devem reter como reservas, liberando um total de 900 bilhões de iuanes (US$ 126,35 bilhões) em liquidez para dar fôlego à economia em desaceleração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *