Adam Schiff acusa Amazon e Facebook de lucrarem com desinformação antivacinas

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Redes Sociais, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 10 de setembro de 2021 as 13:37, por: CdB

Em cartas enviadas para as empresas Amazon a Facebook, o democrata as acusou de “lucrarem diretamente com o sensacionalismo da desinformação antivacinas”, atribuindo-o ao algoritmo e ao sistema de recomendações.

Por Redação, com Sputnik – de Washington

O congressista democrata norte-americano Adam Schiff exortou as grandes redes Amazon e Facebook a reforçarem a luta contra a desinformação relacionada com a vacinação da covid-19.

Congressista dos EUA acusa Amazon e Facebook de lucrarem com desinformação antivacinas

Em cartas enviadas para as empresas Amazon a Facebook na quinta-feira, o democrata as acusou de “lucrarem diretamente com o sensacionalismo da desinformação antivacinas”, atribuindo-o ao algoritmo e ao sistema de recomendações.

Tais sistemas divulgam conteúdo que afirma que as vacinas são ineficazes, contêm microchips e podem resultar em infertilidade entre as mulheres, segundo o congressista.

– Investigações recentes mostraram que o público antivacinas cresceu para 37,8 milhões de seguidores no Facebook e Instagram – escreveu Schiff, citando um relatório do Centro de Combate ao Ódio Digital (EUA).

Polêmica

A polêmica em torno da desinformação nas redes sociais e a forma como ela tem sido moderada se intensificou desde as últimas eleições presidenciais americanas, após as quais o anterior presidente dos EUA foi bloqueado nas principais plataformas.

Trump e muitos republicanos alegam que as redes sociais estão limitando a liberdade de expressão quando eliminam publicações relacionadas a reivindicações sem fundamento de fraude eleitoral.

Por sua vez, o presidente Biden e outros funcionários e legisladores norte-americanos reclamam, entre outras coisas, que as plataformas não tomam medidas suficientes para lutar contra as teorias de conspiração, incluindo a campanha antivacinas.

Pouco depois da chegada da nova administração dos EUA, representantes das principais plataformas de mídia social, incluindo Google, Facebook e Twitter, testemunharam em uma audiência no Congresso sobre desinformação, respondendo às acusações relacionadas à atividade descontrolada e à desinformação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code