Adversários veem pedido de ajuda de May à União Europeia para o Brexit como fracasso

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 14 de dezembro de 2018 as 10:13, por: CdB

Todos os líderes da UE descartaram novos acordos vinculantes para modificar o tratado, mas garantiram à premiê que o pacto não amarrará o Reino Unido às regras do bloco para sempre.

Por Redação, com Reuters – de Londres

A tentativa da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, de obter garantias da União Europeia para seu acordo do Brexit foi considerada por adversários, nesta sexta-feira, como um fracasso humilhante que não serviu em nada para romper o impasse parlamentar sobre a separação britânica do bloco.

Premiê britânica, Theresa May

Todos os líderes da UE descartaram novos acordos vinculantes para modificar o tratado, mas garantiram à premiê que o pacto não amarrará o Reino Unido às regras do bloco para sempre. Uma fonte disse que May não tinha respostas claras sobre o que quer quando foi pressionada pelos líderes da UE.

May, que na quarta-feira sobreviveu a um complô dentro de seu partido para depô-la, pediu a ajuda da UE em uma cúpula em Bruxelas depois de admitir que o pacto do Brexit que firmou no mês passado seria rejeitado no Parlamento britânico.

– Parece que a primeira-ministra fracassou em sua tentativa de apresentar mudanças significativas em seu acordo do Brexit – disse o porta-voz do opositor Partido Trabalhista, Keir Starmer.

– Não podemos continuar assim. A primeira-ministra deveria reconvocar a votação sobre seu acordo na próxima semana e deixar o Parlamento retomar o controle.

Jornais britânicos disseram que May foi humilhada.

– Líderes da UE rejeitam a ideia de May de salvar o acordo titubeante do Brexit – disse o The Guardian. “Líderes da UE mandam premiê se danar”, disse a manchete do The Sun.

May buscou ajuda para superar a oposição doméstica à “solução emergencial irlandesa”, uma cláusula de garantia que obriga o Reino Unido a obedecer aos regulamentos comerciais da UE até se encontrar uma maneira melhor de evitar uma “fronteira dura” danosa na ilha da Irlanda.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e outros descartaram qualquer renegociação do tratado de novembro, concebido para encaminhar a desfiliação de Londres do bloco no dia 29 de março.

Com a política britânica em crise, o desfecho do Brexit não está claro, e as opções possíveis vão de uma separação caótica sem acordo a um novo referendo sobre a filiação ao bloco.

O vice de fato de May, David Lidington, disse que a cúpula foi um primeiro passo bem-vindo, mas seus adversários o viram como um fracasso.

– Acho que o que vocês viram na noite passada foi o fracasso completo da posição de negociação britânica posta a nu – disse Nigel Farage, que fez campanha para o Brexit.

Políticos

Em Bruxelas, May pediu garantias políticas e legais de que a solução emergencial para a Irlanda do Norte será temporária e exortou os líderes a olharem para seu histórico de entregar resultados mesmo quando as chances pareciam estar contra ela.

– Durante os últimos dois anos, espero ter mostrado que vocês podem confiar em mim para fazer o que é certo, nem sempre o que é fácil, por mais difícil que possa ser para mim politicamente – disse May, de acordo com uma autoridade britânica graduada.

May disse acreditar que há “uma maioria no Parlamento que quer seguir em frente com o referendo e deixar com um acordo negociado”, mas alertou que há a possibilidade do Reino Unido ficar acidentalmente sem um acordo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *