Afrouxar uso de máscaras é ‘pensamento neandertal’, diz Biden

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 4 de março de 2021 as 09:49, por: CdB

Presidente norte-americano classifica de um grande erro decisão dos governos do Texas e do Mississippi de derrubar obrigatoriedade da proteção e frisa que máscaras são fundamentais para o combate à pandemia.

Por Redação, com DW – de Washington

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou na quarta-feira a decisão dos Estados do Texas e do Mississippi de suspender a obrigatoriedade do uso máscaras para conter a propagação do coronavírus. O democrata classificou a suspensão de “um pensamento neandertal”.

“Espero que todos já tenham percebido que as máscaras fazem a diferença”, disse Biden

– Eu acho que é um grande erro. Espero que todos já tenham percebido que as máscaras fazem a diferença – declarou Biden a repórteres na Casa Branca, ao ser questionado sobre a decisão dos governadores republicanos do Texas, Greg Abbott, e do Mississippi, Tate Reeves, de revogar a ordem do uso obrigatório de máscaras em seus Estados.

O presidente afirmou que o avanço da vacinação e o aumento da capacidade de produção dos imunizantes contra a covid-19 estão fazendo a diferença no combate à pandemia, porém, frisou que medidas de distanciamento social e de higiene, além do uso de máscaras, continuam sendo fundamentais na luta contra o coronavírus.

– A última coisa de que precisamos é o pensamento neandertal de que está tudo bem, ‘tirem suas máscaras e esqueçam – ressaltou Biden.

Durante a coletiva, o presidente repetiu ao menos quatro vezes a palavra “vital” para ressaltar que é importante que os líderes estaduais mantenham as recomendações dos cientistas, tais como lavar as mãos, usar uma máscara facial e manter distanciamento social.

Decisão do Texas e Mississippi

Nesta terça, o Texas suspendeu a ordem estadual que determinava o uso obrigatório de máscara, tornando-se o primeiro grande Estado a eliminar a medida, apesar das advertências das autoridades médicas em meio à pandemia de covid-19. A decisão foi seguida então pelo governador Mississippi.

Os governadores justificaram a decisão apontando uma queda no número de casos e internações por covid-19 e o ritmo da vacinação, que eles consideram bom. Mas no Texas, no entanto, apenas 9,2% da população já recebeu as duas doses do imunizante.

Em entrevista coletiva, o governador do Texas, Greg Abbott, afirmou também que, a partir de 10 de março, todos os estabelecimentos no Estado poderão abrir sem nenhuma restrição. “Muitos texanos foram privados de oportunidades de emprego. Muitos proprietários de pequenos negócios têm lutado para pagar as contas. Isso tem de acabar. Está na hora de abrir o Texas em 100%. Além disso, dou fim à ordem da máscara”, disse.

Texas, o segundo Estado mais populoso dos EUA, com 30 milhões de habitantes, é o terceiro, atrás de Nova York e Califórnia, com o maior número de mortes por covid-19, com mais de 40 mil óbitos. A ordem de uso da máscara estava em vigor no Estado há oito meses.

Ao ser questionada sobre situação de Texas e Mississippi, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, criticou a forma como o governo anterior, do ex-presidente Donald Trump, combateu o coronavírus. “O país inteiro paga o preço por líderes políticos que ignoraram a ciência quando se trata da pandemia”, afirmou.

Os Estados Unidos são o país mais afetado pela pandemia. De acordo com a Universidade Johns Hopkins, foram registrados mais de 28,7 milhões de casos da doença nos EUA e 518 mil mortes.

Cerca de 15,5% dos norte-americanos já receberam pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19, e 8% já receberam as duas doses necessárias. Autoridades norte-americanas estimam que 80% da população precisa ser vacinada para alcançar a imunidade de rebanho.