Alemanha e Rússia concordam em impulsionar processo político na Síria

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de abril de 2018 as 11:49, por: CdB

Em um breve comunicado, a Chancelaria ressaltou a concordância de ambos líderes em apostar nesse processo político para pôr fim a “um sangrento conflito”

Por Redação, com EFE – de Berlim/Moscou:

A chanceler alemã, Angela Merkel, falou nesta terça-feira por telefone com o presidente russo, Vladimir Putin, para analisar a crise síria e concordaram na necessidade de centrar “todos os esforços” para impulsionar um ” processo político” no país, segundo informou o Governo germânico.

A chanceler alemã, Angela Merkel, falou nesta terça-feira por telefone com o presidente russo, Vladimir Putin

Em um breve comunicado, a Chancelaria ressaltou a concordância de ambos líderes em apostar nesse processo político para pôr fim a “um sangrento conflito”; que já dura anos, em linha com a conversa que Merkel teve na segunda-feira também com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Antes de Berlim informar sobre o contato entre a chanceler e o presidente russo; o Kremlin emitiu um comunicado no qual destacou; que “ambas as partes expressaram disposição para contribuir para retomar os esforços políticos e diplomáticos sobre a Síria, incluído nos fóruns de Genebra e Astana”.

Em sua conversa com Merkel, segundo Moscou, Putin ressaltou; além disso, que “as ações de uma série de países ocidentais; que cometeram um ato de agressão contra a Síria; supõem uma grosseira violação das normas do direito internacional”.

Para Putin, o ataque cometido no sábado pelos EUA, o Reino Unido e a França causou “um grande dano ao processo de paz na Síria”.

Agente nervoso

O agente nervoso que intoxicou o ex-espião Serguei Skripal e sua filha Iulia em 4 de março em Salisbury, sul da Inglaterra; tinha “forma líquida”, informou nesta terça-feira o Ministério britânico de Meio Ambiente (Defra, siglas em inglês).

Segundo esse departamento, a maior concentração do agente nervoso, do tipo Novichok, foi encontrada na casa de Skripal em Salisbury, ainda que tenha sido utilizada uma “quantidade muito pequena”.

Além disso, as autoridades britânicas realizarão uma limpeza profunda em nove lugares de Salisbury e advertiram aos residentes que haverá uma grande atividade de pessoas uniformizadas que farão este trabalho.

Os Skripal foram achados inconscientes em 4 de março após terem sido intoxicados com um agente nervoso do tipo Novichok, de fabricação militar, segundo as autoridades britânicas, que culparam a Rússia deste ataque.

Na semana passada, o hospital Salisbury District confirmou que Iulia Skripal recebeu alta, sem especificar seu paradeiro, mas a imprensa indicou que está em um lugar seguro.

O pai, no entanto, ainda permanece hospitalizado no centro médico da cidade onde ocorreram os fatos, ainda que seu estado tenha melhorado, segundo os médicos.

A filha do ex-espião russo indicou na semana passada que, apesar de ter recebido um oferecimento neste sentido, não deseja falar com funcionários consulares russos.

Após o incidente em Salisbury, o Reino Unido sustentou que a Rússia era “muito provavelmente” responsável do envenenamento, uma vez que foi identificada a substância utilizada como um agente nervoso.

O Governo da primeira-ministra britânica, a conservadora Theresa May, decidiu expulsar no mês passado 23 diplomatas russos, enquanto Moscou fez o mesmo como resposta.

Pouco depois, 14 países da União Europeia (UE), bem como os Estados Unidos, Canadá e Ucrânia, também decidiram expulsar diplomatas russos em solidariedade com ao Reino Unido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *