Alemanha: economia pode continuar a encolher

Arquivado em: Negócios, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 19 de agosto de 2019 as 12:12, por: CdB

O crescimento alemão contraiu no segundo trimestre influenciado pela queda nas exportações, com a guerra comercial, a desaceleração no crescimento da China e incertezas sobre o Brexit.

Por Redação, com Reuters – de Berlim

A economia alemã pode ter continuado a encolher uma vez que a produção industrial cai em meio à escassez de pedidos, disse o banco central da Alemanha nesta segunda-feira, sugerindo que a maior economia da zona do euro está agora em recessão.

O crescimento alemão contraiu no segundo trimestre por causa de uma queda nas exportações, com a guerra comercial, a desaceleração no crescimento da China e incertezas sobre o Brexit minando a confiança, representando um golpe para a economia do país focada em exportações.

Obcecada por ter um orçamento equilibrado, a Alemanha produziu excedentes durante anos, ignorando pedidos por mais gastos para impulsionar o crescimento.
Obcecada por ter um orçamento equilibrado, a Alemanha produziu excedentes durante anos, ignorando pedidos por mais gastos para impulsionar o crescimento.

“O desempenho econômico geral pode voltar a cair um pouco”, disse o Bundesbank em relatório mensal. “A principal razão para isso é a desaceleração contínua na indústria”, completou o banco central, apontando para um declínio significativo nos pedidos e uma grande queda nos indicadores de confiança das empresas manufatureiras.

Embora o consumo doméstico continue a isolar a economia, o mercado de trabalho já está mostrando sinais de fraqueza e a confiança no setor de serviços também está caindo, acrescentou o Bundesbank.

Ainda assim, o crescimento da construção deve continuar, fornecendo algum apoio à economia.

Embora a Alemanha até agora tenha rejeitado a ideia de aumentar os gastos públicos para compensar a desaceleração, o ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz, disse que Berlim tem a força fiscal necessária para conter qualquer crise econômica futura “com força total”.

Obcecada por ter um orçamento equilibrado, a Alemanha produziu excedentes durante anos, ignorando pedidos por mais gastos para impulsionar o crescimento.

Recessão

Na última semana, a imprensa internacional divulgou a informação de que a queda nas exportações levou a uma contração da economia da Alemanha no segundo trimestre, conforme suas indústrias sofrem com o peso da desaceleração global amplificada pelos conflitos tarifários e pela incerteza sobre o Brexit.

O Produto Interno Bruto caiu 0,1% sobre o trimestre anterior, em linha com pesquisa da Reuters, no momento em que analistas levantam a perspectiva de outra contração no terceiro trimestre e o setor industrial sugere que o governo deveria descartar seu orçamento equilibrado e impulsionar o crescimento com estímulos fiscais.

Para 2019 como um todo, o governo espera crescimento de apenas 0,5%.

– A questão é que a economia alemã está à beira da recessão – disse Andrew Kenningham, da Capital Economics.

A expansão do Produto Interno Bruto da zona do euro desacelerou no segundo trimestre de 2019, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira, conforme as economias do bloco perdem força e a Alemanha sofreu contração diante da desaceleração global. Ainda segundo a imprensa internacional, muitos economistas definem recessão como duas contrações trimestrais consecutivas.

A Agência Federal de Estatísticas da Alemanha disse, em uma base ajustada ao calendário, que a taxa anual de crescimento da maior economia da Europa desacelerou a 0,4% no segundo trimestre, de 0,9% no primeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *