Alemanha reduz esperança em fim rápido do lockdown de inverno

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 13 de novembro de 2020 as 13:36, por: CdB

Autoridades do governo da Alemanha reduziram nesta sexta-feira a esperança de que um lockdown parcial economicamente prejudicial será descartado no final de novembro, já que as taxas de infecção continuam a subir. 

Por Redação, com Reuters – de Berlim

Autoridades do governo da Alemanha reduziram nesta sexta-feira a esperança de que um lockdown parcial economicamente prejudicial será descartado no final de novembro, já que as taxas de infecção continuam a subir.

Profissional de saúde da Cruz Vermelha na Alemanha em local de testes de detecção de covid-19 em Frankfurt
Profissional de saúde da Cruz Vermelha na Alemanha em local de testes de detecção de covid-19 em Frankfurt

O número de casos novos diários de coronavírus no país atingiu o recorde de 23.542 nesta sexta-feira, cerca de 1,7 mil mais do que no dia anterior, o que eleva o total a 751.095, relatou o Instituto de Doenças Infecciosas Robert Koch (RKI).

– Do jeito que as coisas estão agora, não podemos esperar que nenhuma medida seja relaxada na segunda-feira – disse o porta-voz do governo, Stefan Seibert, em uma coletiva de imprensa de rotina, líderes nacionais e regionais devem se reunir neste dia para debater se o fechamento de todas as academias de ginástica e locais de entretenimento em novembro diminuiu a proliferação da doença.

Um relatório do Ministério da Economia divulgado nesta sexta-feira revelou que o lockdown “disjuntor” renovado, concebido para frear a proliferação o suficiente para evitar sobrecarregar os hospitais e os esquemas de rastreamento de contatos, já está abalando a maior economia da Europa.

As restrições

A pasta não acredita que a recuperação terminará no quarto trimestre se as restrições continuarem limitadas. O lockdown quase total imposto em março devastou as economias europeias, mas a Alemanha reagiu com um crescimento de 8,2% no terceiro trimestre.

O ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, disse à televisão ARD que é cedo demais para dizer se as restrições terão que ser prorrogadas depois de novembro.