O amálgama dos melhores

Arquivado em: Opinião, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 9 de abril de 2021 as 09:41, por: CdB

 

Suponha que pudéssemos amalgamar os melhores exemplos em um quadro único. A persistência das centrais sindicais em reivindicarem unitariamente a VIA com os R$ 600 do auxílio emergencial pagos a todos os necessitados enquanto durar a pandemia.

Por João Guilherme Vargas Netto – de São Paulo

Suponha que pudéssemos amalgamar os melhores exemplos em um quadro único. A persistência das centrais sindicais em reivindicarem unitariamente a VIA com os R$ 600 do auxílio emergencial pagos a todos os necessitados enquanto durar a pandemia; o confinamento de Araraquara e a vacinação de Serrana; os auxílios emergenciais complementares de São Paulo, do Paraná, do Maranhão e de muitas cidades; o consórcio de imprensa que atualiza diariamente os trágicos números da pandemia; a solidariedade dos sindicatos chineses que doaram US$ 300 mil em artigos essenciais para o combate à doença; a abnegação heroica dos profissionais da saúde e da vacinação, resultariam em um enfrentamento efetivo do quadro catastrófico.

Em frente à sede do Banco Central, a avenida Paulista, ato do movimento “Coalizão Negra” por direito ao auxílio emergencial do governo federal e vacina para todos e todas

O povo brasileiro esperaria este milagre e devemos trabalhar incansavelmente para que todas as pessoas responsáveis convençam-se de que isto é necessário e possível.

Como hoje em dia é urgente e necessário que o Congresso Nacional discuta e vote a MP 1.039 elevando o auxílio emergencial merreca que está sendo pago e legisle sobre a ajuda às micro e pequenas empresas abandonadas à sorte darwinista do mercado.

Os auxílios emergenciais

Os auxílios emergenciais fazem parte hoje do arsenal de medidas sanitárias e nada justifica o interdito proibitório vigente sobre o assunto. O desprezo é tão grave que nem mesmo a menção à MP 1.039 se imprime na mídia grande e não comparece nas cogitações e propostas da esmagadora maioria dos sanitaristas, dos formadores de opinião e dos políticos.

O movimento sindical que está preparando a comemoração virtual, nacional e unitária do 1º de Maio deveria em sua realização apresentar, como exemplo e como estímulo, um rol de medidas efetivas pela vida a serem amalgamadas com êxito e aplicadas com persistência.

 

João Guilherme Vargas Netto, é consultor sindical de diversas entidades de trabalhadores em São Paulo.

As opiniões aqui expostas não representam necessariamente a opinião do Correio do Brasil