América Latina: ONU pede que países facilitem entrada de venezuelanos

Arquivado em: América Latina, Manchete, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 23 de agosto de 2018 as 10:41, por: CdB

As agências expressaram preocupação com as novas exigências de passaporte e para ingresso nas fronteiras adotadas por Equador e Peru

Por Redação, com Reuters – de Genebra

As agências da ONU para imigração e refugiados pediram, nesta quinta-feira, que países da América Latina facilitem a entrada de venezuelanos que chegam a seus territórios fugindo de dificuldades econômicas e de uma crescente crise política na Venezuela.

Imigrantes venezuelanos caminham por estrada do Equador para o Peru

As agências expressaram preocupação com as novas exigências de passaporte e para ingresso nas fronteiras adotadas por Equador e Peru, mas elogiaram os países por receber mais de 1,6 milhão de venezuelanos que deixaram a Venezuela desde 2015.

– Permanece crítico que qualquer nova medida continue a permitir que aqueles com necessidade de proteção internacional acessem a segurança e busquem asilo – disse o alto comissário da ONU para refugiados, Filippo Grandi, em comunicado.

Réplica de terremoto assusta venezuelanos

Uma réplica do poderoso terremoto de magnitude 7,3 que sacudiu a Venezuela na terça-feira mantinha os moradores próximos de seu epicentro com os nervos à flor da pele na quarta-feira enquanto voltavam às suas atividades.

Embora o sismo, cujo epicentro se situou perto da localidade de Yaguaraparo, no litoral norte, tenha estremecido edifícios da capital da vizinha Colômbia e de ilhas caribenhas como Trinidad e Tobago e Santa Lucía, ele não deixou vítimas nem danos sérios devido à profundidade do tremor.

De acordo com as autoridades, só se registraram algumas rachaduras na alvenaria de edifícios do país petroleiro, e os últimos cinco andares de um arranha-céus abandonado de 45 pisos na capital, conhecido como a Torre de David, se inclinaram.

– Pela avaliação preliminar, a estrutura não apresenta risco de queda – disse Randy Rodríguez, vice-ministro de gestão de risco e proteção civil, aos repórteres. Ele acrescentou que houve um deslocamento de alguns centímetros na torre de 190 metros de altura e que ocupa 121.740 metros quadrados, sem dar maiores detalhes.

Mas a terra continuava tremendo. O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) relatou nesta quarta-feira uma réplica de magnitude 5,8 na mesma zona, mas de imediato as autoridades disseram que não surgiram relatos de danos.

O terremoto de terça-feira também foi sentido em localidades do sul do país, como Ciudad Guayana, onde 98 famílias foram retiradas de um prédio, comunicou o governador do Estado de Bolívar, Justo Noguera, em uma mensagem no Twitter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *